Cantor e compositor  Jay Vaquer no show “Sendo”, no Teatro Rival Refit

0
483

O cantor e compositor carioca Jay Vaquer se apresenta no Teatro Rival Refit, dia 24 de março, sexta-feira, às 19h30, em seu novo show, “Sendo”, enquanto prepara seu próximo lançamento. 

O artista, que tem 23 anos de carreira, 10 álbuns e múltiplas indicações ao Grammy Latino, volta ao tradicional palco da Cinelândia, que por sinal, ele considera seu lar quando está se apresentando na cidade. 

O espetáculo evoca a reflexão sobre as delícias e inevitáveis dificuldades que enfrentamos enquanto somos ou tentamos arduamente alcançar o que gostaríamos de ser, numa constante mudança, esperando que tudo evolua com autenticidade e propósito. No repertório, músicas de todos os trabalhos lançados até aqui e algumas surpresas.

 

Serviço: 

JAY VAQUER no show “SENDO”

Teatro Rival Refit – Rua Álvaro Alvim, 33 – Cinelândia, Rio de Janeiro 

Dia 24 de março de 2023

Sexta-feira – 19h30

Abertura da casa: 18h30

Classificação: 18 anos 

Ingressos:

R$ 120,00 (Inteira);

R$ 60,00 (Meia – Estudante / Idoso / Professor da Rede Municipal / Funcionário Refit / Assinante O Globo).

 

 

Histórico: 

Jay Vaquer tem a cara de seu tempo. Não é apenas um cantor de Pop Rock.  É um artista que interage com seu público, mantendo uma relação próxima com os fãs.  Contabiliza mais de 5.000.000 de execuções de suas músicas no Spotify.  No Twitter, seu perfil figurou no Top 30 da lista “melhores do mundo”, além de ter chegado também ao 12º lugar na lista dos brasileiros mais influentes. 

Traz na bagagem 23 anos de carreira e reconhecimento do público.  Em 2009 lançou um DVD (também editado em CD) ao vivo, de show gravado no Vivo Rio para um público de 4 mil pessoas.  Em 2011 lançou seu 6º CD – “Umbigobunker!?” – produzido pelo premiado Moogie Canázio, que teve a participação especial de Maria Gadú na canção “Do Nada, me Jogaram aos Leões”.  O trabalho foi indicado ao Grammy Latino 2012 como um dos discos mais bem produzidos do ano, em toda a América Latina.  Em 2013 lançou um álbum inaugurando a série “Transversões”, onde aborda o trabalho de outros compositores, registrando esse exercício em CDs.  O primeiro volume, intitulado “Antes da Chuva Chegar”, traz canções de Guilherme Arantes.  O CD “Canções de Exílio”, de 2016, foi indicado ao Grammy Latino como melhor produção da América Latina e melhor disco de rock em língua portuguesa.  Em 2018 lança “Ecos do Acaso e Casos de Caos”, seu 10º álbum, que traz dez faixas pinçadas do repertório de seu Musical “Síndroma”, e recebe novamente indicação como melhor disco de rock. 

Fã de arte contemporânea e de cinema, Jay também acompanha de perto a direção de seus clipes, que atingiram (todos) o primeiro lugar na programação da MTV – graças à votação do público – e que foram indicados ao VMB ou ao Prêmio Multishow. 

Jay Vaquer vem arrebanhando, nesses mais de vinte anos de carreira, uma verdadeira legião de fãs, que o acompanham na estrada e o alçam a uma espécie de porta-voz da juventude dos anos 2000.  “Autêntico e original, um gênio da composição, do palco, da letra e da melodia, Jay Vaquer vem renovando o pop rock brasileiro.” (Marcos Maynard – ex-presidente da EMI Music). 

O artista carrega e imprime em seus trabalhos influências tão diversas quanto Peter Gabriel e Chico Buarque, Paul McCartney e The Cure.  É sua a charmosa versão de “Boys don’t Cry”, que foi tema da novela Tempos Modernos da Rede Globo e sucesso nas rádios cariocas.  A versão, que conta com arranjo do próprio Vaquer, surpreende pela forma harmoniosa e melódica com que veste o hit da banda punk Inglesa. 

Filho de músicos, Jay Vaquer trabalha com música desde a infância.  Lançou o primeiro CD em 2000 (Nem Tão São).  Entre em https://open.spotify.com/artist/7LSLnoj6uCCnE2TJ1G6kvw.  Lá, além de sua discografia, o público poderá descobrir um artista com mais de cinco milhões de execuções.