GRES Acadêmicos do Dendê – Sinopse do enredo Carnaval 2020

0
158

A Escola de Samba Acadêmicos do Dendê divulgou a sinopse do enredo que 
apresentará na Intendente Magalhães no carnaval 2020, em desfile pela 
Série E, da ACAS: “Reciclando Carnavais”, de autoria e desenvolvimento 
do carnavalesco Bruno Villaça.

Confira a sinopse.

Grêmio Recreativo Escola de Samba Acadêmicos do Dendê

Carnaval 2020

Enredo: Reciclando Carnavais

Carnavalesco: Bruno Villaça

Sinopse do Enredo:

Vejo nascer o despertar de um novo tempo trazendo a consciência de que 
é preciso reciclar.

A Terra clama a limpeza do planeta.

Meu Deus como nós tornamos o lindo paraíso azul, a mais bela joia da 
criação, nesse imenso lixão?

O ensinamento vem da própria natureza.

Da Terra vejo o Sol e a Lua em movimento marcando o ciclo natural das 
estações: semear, brotar/crescer, florescer/frutificar e voltar ao chão.

Com as sobras e excessos de todo alimento eu reciclo e faço adubo para 
colher em fartura ajudando a vida a sempre reviver, a nunca ter fim.

O jardineira joga fora essa tristeza uma nova camélia vai brotar em 
seu jardim.

E assim eu faço a minha parte, nesse ofício de fazer um desfile 
triunfal transformo lixo em arte contando na avenida a História do 
Carnaval: O abre-alas que a Acadêmicos do Dendê, reciclada, vai passar!

Nesse entrudo jogo limões com água de cheiro e pó colorido nos foliões 
da cidade, com Zé Pereira bato o bumbo a noite inteira, do lixo eu 
faço o luxo das grandes Carnavalescas Sociedades.

De latinha em latão eu garanto a alegria com a sobra do consumo eu 
faço minha fantasia.

Sou mascarado nos salões, nos ranchos, blocos e cordões o mais feliz 
dos foliões, com lança-perfume, confetes e serpentinas sou palhaço no 
corso e nas batalhas dos bondes sou pirata, cigana, pierrô, arlequim e 
colombina. Sou de madeira, de papel, de borracha, de plásticos, de 
alumínios e ferros velhos, de tudo um pouco do que não me serve mais 
vou reciclando antigos carnavais.

Da Praça XI eu sou a saudade desde “Pelo telefone” quando o samba 
surgia às Escolas de Samba, com baianas, passistas, malandros, 
sambistas.

Com o pano velho dessa minha fantasia, reciclada e revivida, sou a 
Acadêmicos do Dendê que desce o morro e venho pra avenida reciclando 
carnavais.

Bruno Villaça