GRES Unidos da Ponte apresenta samba-enredo para o carnaval de 2023

0
377

A Escola de Samba Unidos da Ponte promoveu uma grande festa para lançar o seu samba-enredo para o carnaval de 2023. A obra é assinada pelos compositores Junior Fionda, Tião Pinheiro, Tem-tem Jr, Marcelo Adnet, Léo Freire, Marcelinho Santos, Carlos Kind, Bruno Castro e Vitor Hugo e embalará o enredo “Liberte Nosso Sagrado”.

A festa contou com a participação da homenageada, Mãe Meninazinha de Oxum, que revelou estar muito feliz com a homenagem e que os compositores conseguiram captar toda a mensagem que o enredo transmitirá na avenida.

– Estou muito feliz. Olha como são as coisas, a minha luta, o nosso sagrado, virar enredo de uma escola de samba. Isso é gratificante demais, estarmos aqui hoje pela nossa luta. Agora eu faço parte desta escola e com certeza faremos um grande desfile – revelou a homenageada.

O evento contou também com a participação do cantor Gabrielzinho de Irajá e de todos os segmentos da azul e branca de São João de Meriti, relembrando grandes sambas da escola e a apresentação oficial da obra de 2023 pela voz do intérprete Charles Silva e bateria Ritmo Meritiense do Mestre Branco Ribeiro.

A Unidos da Ponte será a segunda agremiação a desfilar pela Série Ouro da Liga-RJ, na Sapucaí, no sábado de carnaval (18/02/2023).

Confira a letra e ouça o samba-enredo da Unidos da Ponte – Carnaval 2023.

Olorum chamou herdeira no aiyê!
No firmamento, velho Omolu
Era a cura pra salvar ilê…
O recomeço Mojubá Exu,
Ventre encantado fez Iyá Maria
Vovó Davina apontou o céu.
Oraieiê do ouro a luz divina
Se fez doçura pra abrandar o fel.
Era tempo de diáspora do povo preto!
Era sangue e degredo meu sagrado em punição…
O tambor que, cultuado, insistiu em resistir:
Fundamento assentado em São João de Meriti!

“Disse a farda ser a Lei…” Vilipendiou!
Foi Xangô, meu rei, contra o opressor!

No chão batido, um ponto de xirê…
Pequenas Áfricas de Oxalá
Renovam vida por Oxumaré,
E purificam pelas águas de Iemanjá!
Ogum se junta a Logun Edé,
Intensificam luta de Iansã,
Vencer demanda é dom de mulher,
A luz de Obá e o saber de Nanã.
Onde dançam orixás, o preceito é ancestral.
Cada um com sua crença nesse meu Brasil plural!
Que Oxossi atire a flecha e atinja os corações…
Pra que haja mais respeito entre as religiões.

Eu vi a coroa d’Oxum, ô Meninazinha…
Unidos feito ponte – o amor e o axé.
Som de Ketu é atabaque, Yalorixá Rainha!
Deixa em paz meu terreiro de Candomblé!