Duo de rock carioca Mundo Selva lança clipe gravado no Palácio Quitandinha, em Petrópolis

0
116

O duo de rock carioca Mundo Selva lançou nesta quarta-feira (22/12), no YouTube, o videoclipe da música “O que ninguém vê”. Produzido por Digi2 Filmes e Originais Cultne, o vídeo foi gravado em outubro no Teatro, no Salão Social e no Subsolo do Palácio Quitandinha, em Petrópolis, Região Serrana do Rio.

A canção é uma ficção científica e segue a linha das demais músicas do grupo, formado por Neo Caztro (voz e contrabaixo) e por Dav Obadia (bateria), que retratam uma sociedade caótica, subdesenvolvida, hostil e covarde com as minorias e menos favorecidos. Também refletem os lapsos de empatia, compaixão e esperança que unem os cidadãos.

No clipe, chama a atenção o formato pouco convencional que o duo apresenta seu rock: sem guitarra. É através da voz, do contrabaixo e da bateria que Neo Caztro e Dav Obadia apresentam poesia, manifesto, críticas ácidas, desabafos e visões de mundo que retratam o panorama social e cotidiano em que vivem.

Com 2 ’53” de duração, o vídeo mostra importantes espaços do interior desse que é um dos principais pontos turísticos de Petrópolis. Inaugurado em 1944, o antigo hotel-cassino já foi considerado o maior centro internacional de turismo do Brasil e já recebeu personalidades nacionais e internacionais como Errol Flynn, Marlene Dietrich, Orson Wells, Lana Turner, Henry Fonda, Juan Domingos Perón e Evita, Getúlio Vargas, Emilinha Borba e Grande Otelo. Hoje ele abriga apartamentos residenciais e o Sesc Quitandinha.

Na esteira de “O que ninguém vê”, Mundo Selva também lançou nesta quarta-feira outros dois clipes: “Não me orgulhei” e “A Mercê”. Os três singles já estão disponíveis nas principais plataformas de streaming, como Spotify, Deezer e Amazon Music.
Saiba mais sobre Mundo Selva em: https://www.mundoselva.com/ ;

Confira o clipe de “O que ninguém vê” em: https://www.youtube.com/watch?v=kBddCSgwa_I

Letra de “O que ninguém vê”

O que ninguém vê

Meu filho vê

Um mundo

Onde não existe

só o ritmo natural

Se quiser

você pode

Encontrar

Há beleza

Onde não

Procuram mais

E ver

O que ninguém vê

Até você

Revelar

Pense bem

O mundo

Tá tão cheio

De padrões

Que ofuscam

As novidades

Se quiser

você pode

Passear

Onde

Nunca ninguém

Pisou

E ver

O que ninguém vê

Até você

Revelar

Há um mundo

A te esperar

Porque não vem?

Sob a pele

Ao teu redor

Porque não vê?

Sob a pele

A te esperar

Porque não vem?