OSB celebra a cultura espanhola no palco do Theatro Municipal do Rio de Janeiro

0
514

Dois renomados artistas espanhóis dividirão o palco do Theatro Municipal do Rio de Janeiro com a Orquestra Sinfônica Brasileira nos próximos dias 27 e 30/10, em comemoração ao Dia Nacional da Espanha, celebrado no último dia 12/10. Sob a regência do maestro Cristóbal Soler, a mezzo-soprano Lorena Valero e a OSB apresentarão um programa repleto de obras de grandes compositores espanhóis.

Com ritmos e melodias tipicamente espanhóis, uma seleção de zarzuelas, um sainete e uma opereta compõem a primeira parte do programa “Uma noite de Espanha”. Abrindo a noite, o prelúdio de “El Bateo”, de Federico Chueca; um trecho da zarzuela “El Barquillero”, de Ruperto Chapí; duas obras de Pablo Luna: trechos da opereta “Benamor” e da zarzuela “El niño judio”; um movimento da zarzuela “La boda de Luís Alonso”, de Gerónimo Giménez; e mais uma obra de Chapí: trecho da zarzuela cômica “Las hijas de Zebedeo”.

Depois do intervalo, o público terá a oportunidade de ouvir, na íntegra, “El amor brujo”, aclamado balé do compositor Manuel de Falla, com libreto de María Lejárraga. Considerado um símbolo da música espanhola, a obra apresenta uma profusão de motivos e ritmos brilhantes com uma abordagem folclórica, influenciada pelas renovações musicais do começo do século XX. Andaluz por parte de pai e catalão por parte de mãe, De Falla escreveu esta música para Pastora Imperio, um das mais prestigiadas dançarinas de flamenco de sua época. “É uma das mais conhecidas obras deste compositor, uma música repleta de magia que levará o público carioca a uma viagem através das riquezas musicais deste grande país”, adianta o diretor artístico da OSB, Pablo Castellar.

Também conhecido como Dia da Hispanidade, o Dia Nacional da Espanha celebra a expansão da língua e da cultura espanhola. A data escolhida – 12/10 – foi o dia em que Cristóvão Colombo descobriu a América (em 1492). “Para a OSB é uma honra celebrar uma data tão importante junto com nossos parceiros do Governo Espanhol, que viabilizaram a vinda do maestro Cristóbal Soler e a mezzo-soprano Lorena Valero” – afirma Castellar.

A produção “Uma Noite de Espanha – Zarzuelas y El Amor Brujo” é uma parceria entre a Fundação OSB, a Acción Cultural Española, a Embajada de España en Brasil | Consejería Cultural, o Consulado General de España en Rio de Janeiro, o Instituto Cervantes e a Fundação Theatro Municipal do Rio de Janeiro – esta última que conta com o patrocínio Ouro da Petrobras.

Zarzuela: Gênero lírico-dramático comparado à opereta.

Sainete: Peça dramática lúdica e popular.

Reconhecida como um dos conjuntos sinfônicos mais importantes da música nacional, a Orquestra Sinfônica Brasileira soma mais de cinco mil concertos ao longo de seus 78 anos de atuação, revelando diversos talentos e promovendo, através de seus projetos educacionais e concertos públicos, a democratização do acesso à cultura.

Fundada em 1940, a Orquestra Sinfônica Brasileira foi pioneira não só na forma de levar a música sinfônica e de concerto para todos os cantos do Brasil e outros países, como também no incentivo à formação de novos talentos e difusão da cultura no território nacional.

Natural de Alcásser, Valencia, Cristóbal Soler iniciou seus estudos de direção de orquestra com seu maestro e mentor, José Maria Cervera Collado, e foi, também, seu maestro assistente em várias produções de teatros como o Grande Teatro Liceu de Barcelona, o Teatro da Zarzuela e a Ópera de Karlsruhe. Após finalizar seus estudos de composição e direção de orquestra, fez mestrado em direção de orquestra na Universidade de Munique, alcançando as melhores qualificações. Foi diretor artístico e fundador da Orquestra Filarmônica da Universidade de Valência (1995-2010), onde conquistou o  1º Prêmio do Concurso Internacional de Orquestras Sinfônicas Jovens, realizado em Viena em 1988.

Considerado como um dos maestros mais importantes de sua geração, desenvolveu uma trajetória de constante ascensão formada com um amplo repertório, tanto no campo sinfônico como no lírico. Foi titular do Teatro de Zarzuela de Madri durante seis temporadas e, no campo operístico, dirigiu as mais importantes óperas em teatros da Europa.

Após receber um convite oficial de Reiner Bischof, secretário geral da Wiener Symphoniker, passou a viver em Viena, onde foi assistente de grandes maestros durante duas temporadas. Dirigiu concertos com a Orquestra de Câmara de Lausanne além de turnês nacionais e internacionais na Áustria, França, Portugal, Polônia, Eslovênia, Romênia, Cuba, Venezuela, México e Argentina. Cristóbal Soler é presidente e fundador da AESDO, Associação Espanhola de Diretores de Orquestra.

Lorena Valero começou sua carreira artística como soprano lírica, estreando os principais papeis do grande repertório operístico.

Gradualmente, sua voz foi experimentando uma evolução natural e encontrando, hoje, o assentamento definitivo e a textura de mezzo-soprano. Desde então, tem recebido conselhos valioso de artistas como Dolora Zajick, Plácido Domingo e Roberto Scandiuzzi. Estudou em Viena com a mezzo-soprano Margarita Lilova na Faculade de Música de Viena após obter o título de canto profissional no Conservatório Superior do Liceu de Barcelona. Em sua formação artística, vale a pena mencionar os ensinamentos adquiridos com Ghena Dimitrova entre outros. Foi convidada para cantar em numerosas galas líricas e recitais de música espanhola em Viena, Salzburgo, Baden e Munique, destacando o concerto monográfico de voz e violão de Fernando Sor, para ilustrar a exposição “Goya”, realizada no Leopold Museum de Viena.

Orquestra Sinfônica Brasileira

Cristóbal Soler, regência

Lorena Valero, mezzo-soprano

PROGRAMA:

OBRE JEAINERUIS STEUERMAN e 5

FEDERICO CHUECA

El Bateo (O Batismo) – Sainete em um ato, Prelúdio

RUPERTO CHAPÍ

El Barquillero (O Barquillero) – Zarzuela em um ato e três quadros

Romanza de Socorro: “Cuando está tan hondo” (Quando está tão profundo)

PABLO LUNA

Benamor – Opereta em três atos| Danza del fuego (Dança do Fogo)

PABLO LUNA

El Niño Judio (O Menino Judeu) – Zarzuela em dois atos e quatro quadros

Romanza de Concha: “De España Vengo” (Da Espanha eu venho)

GERÓNIMO GIMÉNEZ

La Boda de Luís Alonso (A Boda de Luís Alonso) – Zarzuela em um ato e três quadros, Intermedio

RUPERTO CHAPÍ (1851-1909)

Las Hijas de Zebedeo (As Filhas de Zebedeu) – Zarzuela cômica em dois atos

Romanza de Luisa – Carceleras: “Al pensar en El dueño de mis amores”

(Carcereiras: “Pensando no dono dos meus amores”)

MANUEL DE FALLA

El Amor Brujo (O Amor Bruxo), Libreto de María Lejárraga – Gitanería em umato e dois quadros

      1º QUADRO:

            Introducción y escena (Introdução e cena)

            Danza Del findeldía (Dança do fim do dia)

            Escena y Romance del pescador (Cena e Romance do pescador)

            Intermedio

      2º QUADRO:

            Introducción y escena (Introdução e cena)

            Danzadelfuegofátuo (Dança do fogo tolo)

            Alucinaciones (Alucinações)

            Conjuro para reconquistar el amor perdido (Feitiço para reconquistar o amor perdido)

            Escena (Cena)

            Danza de La bruja fingida (Dança da bruxa fingida)

            Final

SERVIÇO:

Uma Noite de Espanha – Zarzuelas y El Amor Brujo

Dia 27/10 (sábado), às 19h30 | Dia 30/10 (terça-feira), às 20h

Local: Theatro Municipal do Rio de Janeiro

Endereço: Praça Floriano, s/nº – Cinelândia, Rio de Janeiro

Classificação etária: Livre

Ingressos:

  • Frisa/Camarote – R$100, R$80, R$60 (R$50, R$40, R$30 meia)
  • Plateia – R$100 (R$50 meia)
  • Balcão Nobre – R$100 (R$50 meia)
  • Balcão Superior – R$50 (R$25 meia)
  • Balcão Superior Lateral – R$40 (R$20 meia)
  • Galeria Central – R$30 (R$15 meia)
  • Galerial Lateral – R$20 (R$10 meia)