OSB realiza concerto no Theatro Municipal do Rio de Janeiro

0
21
© Kate L Photography | www.kateLphotography.com

“Era uma vez… Uma noite francesa” é o espetáculo que a Orquestra Sinfônica Brasileira levará ao palco do Theatro Municipal do Rio de Janeiro no próximo dia 12/10, às 20h. Sob a batuta do maestro Neil Thomson, a orquestra dividirá o palco com dois dos principais pianistas brasileiros da atualidade: Cristian Budu e Leonardo Hilsdorf. No programa, obras de ícones da música francesa – Camille Saint-Saëns, Arthur Honegger, Francis Poulenc, Claude Debussy e Maurice Ravel.

O repertório da noite terá início com “Dança Macabra”, uma das obras mais destacadas de Camille Saint-Saëns, considerada um misto de imaginação fantástica e rigor clássico. Composto em 1874, o poema sinfônico é inspirado no texto de Henri Cazalis, que fala sobre esqueletos levantando de seus túmulos para dançar ao som de um violino tocado pela morte. O clima macabro será substituído por cantos de pássaros e canções folclóricas na segunda peça do programa: “Pastoral de Verão”, do compositor franco-suíço Arthur Honegger.

  O “Concerto para dois Pianos e Orquestra”, de Francis Poulenc, dá continuidade ao espetáculo, levando ao palco dois grandes nomes do

instrumento: Cristian Budu e Leonardo Hilsdorf. Juntos, eles interpretarão os três movimentos da peça que, segundo o próprio Poulenc, tem influências de Mozart, Liszt, Ravel e Markevitch. Depois do intervalo, a Orquestra Sinfônica Brasileira volta à cena com a “Pequena Suíte”, de Claude Debussy e “Minha Mãe Gansa”, de Maurice Ravel.

O Maestro Neil Thomson nasceu em Londres em 1966 e estudou regência com Norman Del Mar no Royal College of Music. Ele também foi membro da turma de regência da Tanglewood Summer School em 1989, estudando com renomados nomes como Seiji Ozawa, Kurt Sanderling e Leonard Bernstein.

De 1992 a 2006, foi chefe de regência no Royal College of Music, sendo o mais jovem professor a ocupar esse cargo, do qual ele é membro honorário desde 1994. Desde 2014, é Maestro Principal e Diretor Artístico da Orquestra Filarmônica de Goiás. A orquestra rapidamente desenvolveu uma reputação por suas performances dinâmicas e amplo repertório (com especial ênfase na música brasileira e contemporânea).

Eles estão atualmente envolvidos em uma série de gravações de música orquestral brasileira para a Naxos, incluindo o primeiro ciclo das sinfonias completas de Claudio Santoro.

Thomson já realizou shows com renomados solistas, colaborações recentes incluem o Concerto No. 2 de Brahms Piano com Nelson Freire, turnês no Japão com Nobuyuki Tsujii, o Unsuk Chin Violin Concert com Viviane Hagner, turnês brasileiras com Antonio Meneses e Jean Louis Steuerman, e concertos com Stephen Hough, Sir Thomas Allen, Sir James Galway, Dame Felicity Lott, Steven Isserlis, Sarah Chang e Danielle de Niese.

Brasileiro filho de romenos, o jovem Cristian Budu desponta como uma nova referência no mundo pianístico. Venceu o renomado Concurso Internacional Clara Haskil – mais importante conquista por parte de um pianista brasileiro nos últimos 25 anos – e recentemente ganhou prêmios como Instrumentista do Ano (2017) da APCA, Melhor Concerto do Ano (2016) no Guia da Folha, e em 2017 entrou para duas das mais prestigiadas listas da Gramophone, maior referência da crítica

internacional: “Top 10 Recent Beethoven Recordings”, e “Top 10 Chopin Recordings”, que inclui nomes como Martha Argerich, Arthur Rubinstein, Maria João Pires, Dinu Lipatti e Murray Perahia. Seu primeiro CD solo ganhou o “Editor’s Choice” na Gramophone e “5-Diapasons” na Diapason.

Gravou também o 1o Concerto de Tchaikovsky com a OJESP e Cláudio Cruz.

Cristian já solou à frente da Orquestra Sinfônica de Lucerna, Orquestre de la Suisse Romande, Orquestra Sinfônica da Rádio de Stuttgart, NEC Philarmonic Orchestra, OSESP, Orquestra Filarmônica de Montevideo, OSB, Orquestra Filarmônica de Mendoza, Orquestra Filarmônica de Minas Gerais, entre tantas outras. Apresentou-se como solista em salas como KKL de Lucerna, Ateneu de Bucareste, LAC de Lugano, Liederhalle, Jordan Hall, Sala São Paulo. Já solou e lecionou em festivais e séries como “Les Grands Interprètes” de Genebra, “Klavierissimo” de Zurique, “Piano aux Jacobins” (França), Rockport Music Festival (EUA), Zermatt Festival (Suiça), Delft Chamber Music Festival (Holanda), Frankische Musiktage – série ‘Rising Stars’

(Alemanha), Festival Internacional de Piano de Monterrey (Mexico), Festival Internacional de Campos do Jordão.

Em Boston, Cristian integrou um quarteto especializado em Choro que venceu o Honors Competition do New England Conservatory. Ainda nos EUA, Cristian hospedou saraus e eventos especiais que inspiraram a criação do projeto Groupmuse, que ganhou a parceria da Boston Symphony Orchestra e se tornou uma das maiores plataformas inovadoras da música clássica. No Brasil, Cristian é criador do projeto Pianosofia (www.pianosofia.com), que tem apoios da Sociedade Cultura Artística e da Arone Pianos.

Um dos principais expoentes da nova geração de pianistas brasileiros, Leonardo Hilsdorf vem se apresentando com sucesso em diversas cidades do Brasil, Estados Unidos e Europa. Aclamado pela crítica especializada, suas performances têm sido saudadas como “fenomenal”

(Fuldaer Zeitung, Alemanha) e “encantadora e magistral”

(L’Indépendant, França). Atualmente é um dos seletos solistas em residência na Capela Musical Rainha Elisabeth da Bélgica, onde trabalha sob os cuidados da pianista portuguesa Maria João Pires. No exterior, foi agraciado com o 1º prêmio em Concursos Internacionais de Piano na França, na Alemanha e na Espanha: Concurso Internacional de Gaillard, de Séte, e do Pianale Klavierakademie, onde recebeu também o prêmio especial do júri e o de favorito do público. Em 2012 foi reconhecido com o prestigioso prêmio “Nadia et Lili Boulanger” em Paris. No ano seguinte recebeu unanimemente o 1o. prêmio e o prêmio especial da União Européia de Concursos de música para a juventude em San Sebastian, na Espanha. Já em 2016 obteve o terceiro prêmio no Concurso internanional de Colônia KRK da Alemanha e o Prêmio de Melhor Intérprete de Música Brasileira no IV Concurso Internacional BNDES de Piano. Ainda no Brasil, recebeu o primeiro prêmio em diversos outros concursos de piano: Concurso Jovens Instrumentistas do Brasil, Artlivre, Villa-Lobos, Paulo Giovaninni entre outros. Como vencedor do “I Concurso Grieg Nepomuceno”, realizado em Brasilia em 2005, Leonardo realizou uma turnê pela Noruega no ano seguinte, se apresentando como solista e camerista em prestigiados festivais como o “Grieg Festival”

in Oslo e “Grieg in Bergen”, bem como a gravação de um CD dedicado a esses dois compositores. Foi convidado, em 2007 a realizar a abertura de dois recitais do celebrado pianista brasileiro Nelson Freire, na Sala Cecília Meireles no Rio de Janeiro e no Teatro Municipal de São Paulo, recebendo diversos elogios da crítica especializada.

PROGRAMA:

Camille Saint–Saëns – Danse macabre (Dança macabre)

Arthur Honegger – Pastorale d’Eté (Pastoral de Verão)

Francis Poulenc – Concerto para dois Pianos

– Intervalo –

Claude Debussy – Petite Suite (Pequena Suite)

Maurice Ravel – Suite “Ma Mère l’Oye” (Minha Mãe Gansa)

SERVIÇO:

Orquestra Sinfônica Brasileira (Série Em Foco)

Dia 12 de outubro de 2019 (sábado), às 20h

Local: Theatro Municipal do Rio de Janeiro

Endereço: Praça Floriano, s/nº – Cinelândia/Centro – Rio de Janeiro

Ingressos:

Frisa/Camarote: R$100,00 (R$50 meia)

Plateia: R$100,00 (R$50 meia)

Balcão Nobre: R$100,00 (R$50 meia)

Balcão Superior: R$50,00 (R$25 meia)

Balcão Superior Lateral:  R$40,00 (R$20 meia)

Galeria Central: R$30,00 (R$15 meia)

Galeria Lateral: R$20,00 (R$10 meia)

(à venda na bilheteria do TMRJ e no site Ingresso Rápido:

https://www.ingressorapido.com.br/event/32724-1/d/65172)