Prêmio Funarj apresenta Cia Urbana de Dança em Rota de Fuga

0
289

Pela primeira vez na história da internacional Companhia Urbana de Dança, fundada em 2004 pela coreógrafa e diretora Sônia Destri Lie , uma montagem foi criada de forma tão rápida. Em apenas 22 dias nasceu Rota de Fuga, o primeiro espetáculo inédito pós-pandemia, inspirado na vivência dos dançarinos que sentiram na pele a limitação de dançar durante este difícil período do coronavírus. O Prêmio Funarj foi anunciado em dezembro de 2021 e o resultado estará em cena em duas únicas apresentações, com preços populares, uma na zona norte, no Teatro Armando Gonzaga (01/04), e outra no centro, no Teatro João Caetano (07/04). Cinco integrantes, todos oriundos de comunidades do Rio de Janeiro, voltam aos palcos com uma nova experiência que revela as mudanças pelas quais passaram, sejam pessoais ou profissionais, e com um fator sem precedentes: driblando o ganho de peso – obtido durante os dois anos praticamente parados.

Em “Rota de Fuga’, a diretora Sônia Destri Lie assina a concepção e aposta em movimentos recheados de dramaturgia, sem exigências. O espetáculo é um trabalho de equipe. Desta vez partiu dos dançarinos que delinearam a coreografia em conjunto, e que junto com Destri, elaboraram a obra.

A última montagem aconteceu em 2018 com “Cinco passos para não cair no abismo”. Na fase do “fique em casa”, a Companhia produziu uma frase de coreografia por semana, e parte do material, desenhado naquele período, foi usado em “Rota de Fuga”. Segundo Sônia, cada um se expôs verdadeiramente a partir das loucuras pessoais percebidas e vividas por estarem trancados em casa durante a pandemia.

“O que importa pra mim é meu próximo trabalho, o que vou conseguir dar para os meninos”, diz. No palco, Miguel Fernandez, Tiago Sousa, Jessica Nascimento, Johnny Britto e, Elton Sacramento (este, dançarino e assistente de coreografia do espetáculo) se transformaram em adultos que a enchem de orgulho – estão com ela há pelo menos 12 anos.

O público poderá assistir a um espetáculo de olhar despudorado sobre o momento pandêmico pessoal, em que durante o processo de criação foi se moldurando a falar muito mais do afeto do que do drama que a pandemia trouxe. “Somos todos hoje ‘novos eus’, resultado dessa vivência, no isolamento, na desesperança, no medo”, revela Sônia.

“Muitos bailarinos ficaram deprimidos, tiveram que se mudar de casa, perderam a forma física. Foi um período difícil, mas nada que a gente não consiga resolver” – complementa a diretora da Companhia.

“Rota de Fuga” é o 15º espetáculo da Companhia Urbana de Dança. Não à toa, é uma referência em dança de rua dentro e fora do país, mesclando o talento nato dos dançarinos do asfalto com a técnica da dança moderna. Composta hoje por talentosos artistas afrodescendentes cariocas, a Cia se destaca em todo o mundo, com sucesso de crítica e público, e tendo conquistado importantes espaços na imprensa internacional.

Foi na estreia nos Estados Unidos, no New York City Center, em 2010, que o mundo se abriu para os cariocas. Esta apresentação teve uma grande importância na vida da Cia. Os críticos viram algo novo na mistura desenhada pelo grupo e se embebedaram nela: a dança brasileira contemporânea e o hip-hop de Destri se juntaram em uma só forma, com novo rigor. A coreógrafa traz de volta à sua profundidade emocional original, o alcance expressivo e a integridade poética.

Sobre a Cia Urbana de Dança

Fundada no Brasil em 2004/2005 pelo bailarino Tiago Sousa e pela coreógrafa e diretora artística Sonia Destri Lie, a Companhia Urbana de Dança é um conjunto de artistas de rua que trabalha para fomentar a trajetória humana através da dança. A experiência de Destri viajando pela Europa para se aprimorar em teatro e cinema, a expôs às técnicas de hip-hop e b-boy.

A Companhia Urbana de Dança é hoje uma das mais conceituadas companhias do Brasil e do mundo. Realizando um trabalho minucioso de pesquisa das raízes culturais brasileiras e colocando este material em diálogo com as tendências contemporâneas da dança urbana, produz um material cênico e coreográfico riquíssimo e potente. A companhia também é conhecida por ter feito a última abertura do Fantástico (TV Globo).

Os espetáculos trazem as identidades de seus bailarinos, suas referências e atitudes, um sotaque carioca, brasileiro e afrodescendente, ao mesmo tempo traduzível aos outros países, inserindo-se afirmativamente no que há de mais contemporâneo em dança urbana. Colocam em destaque os talentos de jovens brasileiros negros e pobres na modernidade, numa postura afirmativa e pluralista.

Sobre Sônia Destri Lie

Carioca criada em Bangu, no subúrbio do Rio de Janeiro, Sônia Destri Lie teve uma família centrada. O pai era advogado de uma fábrica em Bangu , Zona Oeste do Rio de Janeiro, e a mãe era pintora. Muito ligada à questões estéticas, sempre gostou do belo. Toda esta formação permitiu a psicóloga, formada pela UFRJ, a ter jogo de cintura. Bem-humorada, acabou se destacando nas artes. A formação artística veio através da Escola de Danças Clássicas / Fundação Teatro Guaíra onde ser formou. Destri recebeu o primeiro prêmio aos 18 anos. Desde lá, foram tantos, que ela nem sabe dizer quantas estatuetas já ganhou, mas para Sônia, isso não é o importante. Iniciou o contato com o hip hop na Europa, fazendo dança urbana na Alemanha. Formou a Cia Urbana de Dança em 2004, no Rio de Janeiro. Mudou a vida de jovens de comunidades e conseguiu extrair o melhor destes artistas que são um sucesso por onde se apresentam.

Altamente influenciada pelas formas de rua brasileiras, ela começou a integrar essas técnicas em sua já estabelecida sensibilidade de movimento contemporâneo. Nascida nas favelas do Rio de Janeiro, onde muitos de seus integrantes cresceram, a Companhia Urbana de Dança pretende transcender as fronteiras culturais, ao mesmo tempo em que apresenta habilidades ecléticas.

O trabalho da Companhia Urbana de Dança traz para o palco as identidades, depoimentos e atitudes de seus bailarinos, e o faz com um sotaque carioca, afro-brasileiro, mas universal. O grupo está firmemente posicionado na cena de dança urbana mais contemporânea no Brasil e internacionalmente. Destaca os talentos de jovens negros e brasileiros pobres no mundo moderno, a partir de uma postura afirmativa e pluralista.

“Eu quero que a Cia seja a melhor do mundo para o bailarino ficar” – Sônia Destri

FICHA TÉCNICA

Produção e direção: Sônia Destri Lie

Dançarinos – Miguel Fernandez, Tiago Sousa, Jessica Nascimento, Johnny Britto e, Elton Sacramento

Luz – Renato Machado

Assistente de Coreografia – Elton Sacramento

Trilha original – Rodrigo Marçal

Figurino – Zsolt

Serviço:

Rota de Fuga – Cia Urbana de Dança – Rio de Janeiro

Data: 1º de abril – sexta-feira

Horário: 16h

Local: Teatro Armando Gonzaga

Endereço: Av. Gen. Osvaldo Cordeiro de Farias, 511 – Marechal Hermes

Ingressos: R$1,00

Classificação: Livre

@companhia_urbana_de_danca

https://www.companhiaurbanadedanca.com.br/

Serviço:

Rota de Fuga – Cia Urbana de Dança – Rio de Janeiro

Data: 07 de abril – quinta-feira

Horário: 19h30

Local: Teatro João Caetano

Endereço: Praça Tiradentes, s/nº – Centro

Ingressos: R$10,00 (inteira) e R$5,00 (meia) – preços populares

Classificação: Livre

@companhia_urbana_de_danca

https://www.companhiaurbanadedanca.com.br/