Projeto InConto Marcado faz um encontro entre a arte brasileira e a educação, incentivando o hábito da leitura

0
399

Com patrocínio da Enel Distribuição Rio e da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado do Rio de Janeiro, através do Edital Enel de Seleção de Projetos Culturais e Esportivos Incentivados – RJ, a produtora, educadora e atriz Daniele Yanes (que já foi a Narizinho do Sítio de Monteiro Lobato) promove o incentivo à leitura através do projeto InConto Marcado, que inicia as atividades da nova etapa no dia 22 de agosto (domingo).

Mesmo em um ano de pandemia (2020), Daniele aproveitou de toda a expertise da vida profissional para realizar a primeira fase do InConto Marcado, edição Rio de Janeiro, por meio de ações dentro do sítio (site) https://incontomarcado.com.br. São dez anos de circulação com o projeto pelo Norte e Nordeste, atuando no cenário artístico e educacional, e ainda conta com a experiência de quem atuou na TV Globo quando foi a segunda atriz mirim a fazer a personagem Narizinho do Sítio do Picapau Amarelo, atuando também em novelas e minisséries. Agora, em 2021, o projeto segue para a segunda fase com uma plataforma totalmente nova com ações on-line e presenciais que serão implementadas em seis cidades do Rio de Janeiro, unindo no mesmo caldeirão de saberes a cultura, o teatro e a literatura.

De forma on-line, o dia 22 de agosto marca o relançamento do primeiro episódio do espetáculo Plantou Palavra, Colheu Poesia totalmente reformulado (uma adaptação do livro homônimo da premiada escritora cearense Socorro Acioli), com o lançamento dos cinco episódios restantes até o fim de outubro. Já no dia 23 de agosto as inscrições da oficina on-line para professores dos municípios contemplados estarão abertas diretamente pela plataforma incontomarcado.com.br – serão até 80 professores por cidade e aqueles que se destacarem, participarão da oficina presencial que ocorrerá em cada município. O projeto segue com o relançamento do site no dia 06 de outubro, trazendo novidades. “O InConto bebe em algumas das fontes mais tradicionais da arte brasileira, como o teatro mambembe, a contação de histórias e a literatura. O resultado é uma abordagem multidisciplinar, onde a literatura, o teatro e a educação unem forças para tocar e encantar pessoas de diferentes regiões e toda sorte de crianças, inclusive as enrugadas e calvas”, explica Daniele.

De 04 de novembro até 03 de dezembro serão executadas as oficinas de teatro em formato presencial, juntamente com a circulação do espetáculo inédito em seis cidades do Rio de Janeiro: ‘Plantou Palavra, Colheu Poesia’ passará por Petrópolis, Teresópolis, Nova Friburgo, Bom Jardim, Santa Maria Madalena e Niterói. “Mais do que um projeto de teatro, o InConto Marcado é essencialmente uma plataforma que busca o incentivo à leitura. Este objetivo está presente em todos os pilares do projeto. Isso está claro na escolha dos três espetáculos montados e apresentados ao longo da trajetória de 10 anos: todas adaptações para o teatro de obras da literatura brasileira. Além disso, o livro está sempre presente em cena, não apenas como um adereço, mas como um elemento-chave, que oferece ao público acesso a um universo mágico e criativo”, analisa Daniele.

Sobre o InConto Marcado

Em 2010 nascia o InConto Marcado, com o objetivo de utilizar a sinergia entre a literatura e o teatro brasileiros como uma ferramenta de educação e estímulo à leitura. Tendo como ponto de partida o desenvolvimento e a circulação de peças teatrais baseadas em obras da literatura nacional, o projeto de arte-educação já levou espetáculos e oficinas teatrais a quase 30 cidades das regiões Norte e Nordeste do Brasil. Desde a sua fundação até hoje, o InConto Marcado atingiu um público total de mais de 35 mil espectadores, além de mais de 1600 professores capacitados nas oficinas de teatro.

As três peças desenvolvidas e apresentadas durante este período – Fio Após Fio, Brejo das Flores e Plantou Palavra, Colheu Poesia – partem de universos ficcionais diferentes para abordar de forma poética uma das questões mais importantes do nosso tempo: como manter vivas as pontes que ligam a infância à vida adulta, o cotidiano e a imaginação. Com linguagem acessível e temáticas profundamente conectadas à realidade contemporânea brasileira, os espetáculos e oficinas teatrais têm entre seus principais objetivos a democratização do acesso à arte, a formação de plateia e o estímulo à leitura.

O projeto ganhou o Prêmio Funarte de Circulação Literária – 2010 , o Edital Mecenas das Artes do Ceará – Edições VI, VII, VIII e IX e o Edital Enel de Seleção de Projetos Culturais Esportivos Incentivos RJ – 2019.

Espetáculo Plantou Palavra, Colheu Poesia

O espetáculo teatral é uma adaptação do livro homônimo da escritora cearense Socorro Acioli, que aborda a vida e a obra do poeta popular Patativa do Assaré. Com forte influência das trupes do teatro mambembe, a montagem traz três atores se desdobrando em diversos personagens que, juntos, contam a história de Francisco, um menino que se retira com a família para Assaré. Lá ele conhece um agricultor e poeta chamado Antônio e, a partir deste encontro, começa sua aventura em busca de descobrir como se faz poesia.

O espetáculo passeia por várias linguagens e utiliza recursos como bonecos, pernas de pau e música ao vivo para a construção de uma atmosfera poética e vibrante. A estética, que se baseia numa cultura ao mesmo tempo lúdica e popular, também aparece na construção dos adereços – que representam a Noite, o Dia e a Primavera Sertaneja –, dos figurinos e dos cenários, que foram pintados à mão.

A etapa fluminense do projeto vem com novidade: a trilha sonora original. E para sorte e honra do projeto, a missão ficou a cargo do multinstrumentista, arranjador, compositor e educador carioca Carlos Malta, conhecido como “escultor do vento”, com quarenta anos de carreira, e do poeta, cantor e artista popular baiano Rodrigo Sestrem. Juntos, eles criaram a trilha original para o espetáculo e também para a narrativa em áudio e vídeo da peça, a partir da obra musical do Malta, tanto de composições já existentes como inéditas. A música tema do espetáculo, ‘Plantar Palavra, Colher Poesia’, foi escrita por Sestrem em cima da obra musical já conhecida de Carlos Malta, chamada ‘Barrigada’, assim como o ‘Cordel do InConto Marcado’. Já ‘O Côco da Feira de Assaré’ é composição inédita de Malta e ganhou uma letra do poeta baiano.

O resultado de tudo isso é uma legítima homenagem aos autores, poetas e cantadores do Nordeste, através de uma verdadeira aventura poética, brincante, musical e interativa.

O espetáculo é gratuito. Será apresentado nas cidades de Teresópolis, Nova Friburgo, Petrópolis, Bom Jardim, Santa Maria Madalena e Niterói (os locais ainda em fase de confirmação). Duração: 55 minutos

Classificação etária: Livre (a partir de 5 anos)

FICHA TÉCNICA

Direção Geral: Daniele Yanes

Direção: Geovana Pires

Assistência de direção: Miguel Campelo

Direção de Arte: Rociania Barreto Cavalcante

Dramaturgia: baseada na obra “Plantou Palavra, Colheu Poesia” de Socorro Acioli, com poemas originais de Rodrigo Sestrem e trechos de poemas de Patativa do Assaré

Adaptação e roteiro: Daniele Yanes

Elenco: Diego Marques, Geórgia Dielle e Jefferson Tinoco

Direção de Produção: Raína Biriba

Assistente de Produção: Diego Marques

Consultoria musical: Carlos Malta

Trilha sonora original: Carlos Malta e Rodrigo Sestrem

Desenho de Som: Daniele Yanes

Poemas originais e interpretação das canções: Rodrigo Sestrem

Direção de Arte: Rociania Barreto

Figurinos: Miguel Campelo

Execução de figurinos: Devyson Freitas e Luciana de Lima

Cenários e adereços: Rociania Barreto Cavalcante

Idealização e confecção boneco Patativa: Miguel Campelo

Designer e programação visual: Raquel Theo

Desenhos Originais: Raquel Theo e Rosana Mapurunga

Mídias sociais: Julian Probst

Fotógrafos e registros de imagens: Éden Barbosa, Paulo Winz, Cleiton Martins e Rafael Martins

Sobre Daniele Yanes

Com mais de trinta anos de carreira, com experiência no Teatro, Cinema e Televisão, a atriz curitibana, ainda na infância, interpretou personagens marcantes. Na TV, foi a Narizinho do ‘Sítio’ idealizado por Monteiro Lobato, e Zélia Gattai, na minissérie ‘Anarquistas Graças a Deus’. No cinema foi a personagem Expedita, filha de Lampião, no filme ‘O Cangaceiro Trapalhão’. Adulta, atuou nas novelas ‘Renascer’ e ‘Irmãos Coragem’ (Luiz Fernando Carvalho). Com formação em Artes Cênicas pelo CPT – Centro de Pesquisa Teatral (Antunes Filho) e Teatro Escola Macunaíma (SP), é atriz e gestora cultural, com mais de 40 projetos produzidos sob sua direção e em parceria com diversas produtoras culturais do país. Desde o ano 2000 trabalha com arte ligada à educação, de forma plural.

10 anos de estrada

Há mais de uma década levando arte, educação e incentivo à leitura a diversas regiões do país, o InConto Marcadofoi criado pela atriz, diretora e produtora cultural, Daniele Yanes. Com sua trajetória ligada à produção cênica brasileira desde a infância, ela foi a segunda atriz a interpretar a personagem Narizinho, do Sítio do Pica-Pau Amarelo, na Rede Globo, nos anos de 1981 e 1982. De lá pra cá foram diversos papéis no cinema, teatro e televisão. Com a criação do InConto, Daniele realizou o antigo sonho de utilizar a arte brasileira como catalisadora da educação. E, tendo como base o teatro itinerante, levar o projeto a municípios do interior dos estados brasileiros, exercitando a democratização da arte.

Depois de vencer, em 2010, o Prêmio Funarte de Circulação Literária, o projeto apresentou os espetáculos Fio Após Fio e Brejo das Flores, em sete municípios com baixo IDH, pertencentes ao Programa do Governo Federal Territórios da Cidadania. Inspirados em contos de Marina Colasanti e Luís Jardim, as montagens passaram por três cidades do Ceará (Barbalha, Crato e Nova Olinda) e quatro do Tocantins (Novo Acordo, Santa Tereza do Tocantins, Aparecida do Rio Negro e Lagoa do Tocantins). Atingindo um público de 9.300 crianças e capacitando mais de 500 professores através de oficinas.

A partir de 2014, com aprovação em edições sucessivas do Edital Mecenas das Artes do Ceará, e contando com o apoio da Enel, os espetáculos foram apresentados em mais 17 municípios cearenses. Com montagens vibrantes, fundamentadas na exaltação da cultura popular brasileira, os espetáculos tiveram uma excelente recepção por parte do público, que riu e se emocionou com os personagens e suas histórias.

Sobre as Oficinas e o Incentivo à leitura

O livro é a chave que abre muitas portas. Nas oficinas teatrais, que já capacitaram mais de 1600 professores da rede pública, são utilizadas técnicas e recursos das artes cênicas que estimulam o uso da sensibilidade e da criatividade, buscando instrumentalizar os educadores na arte de transmitir conteúdos com mais qualidade para os alunos, fazendo com que as crianças fiquem mais envolvidas e encantadas pelo conteúdo apresentado, independente da matéria ou conteúdo.

Teatro para professores: uma ferramenta de comunicação.

Tão importante quanto apresentar novos mundos e personagens para crianças de diferentes regiões do Brasil é contribuir para que mais pessoas possam ajudá-las a ter acesso a esse universo. Por isso, além de apresentações teatrais, o InConto Marcado sempre ofereceu oficinas de teatro nas cidades onde passou. Voltadas principalmente para professores da rede pública, as oficinas são baseadas na contação de histórias e tem o intuito de proporcionar maior consciência da importância da leitura e da dramatização no processo educacional.

O que se pretende é estimular o uso da sensibilidade, da criatividade, o conhecimento de mundo e do conteúdo pedagógico na arte de contar histórias. Ousar, brincar com os sons, impor o ritmo, o gesto, a entonação da voz, fazendo com que a criança fique envolvida e encantada pelo conteúdo apresentado. A ideia é que esses participantes se tornem praticantes e multiplicadores das dinâmicas e conceitos trabalhados, estimulando e formando novos leitores.

Sobre Socorro Acioli

Nascida em Fortaleza, Socorro Acioli estreou na literatura com apenas oito anos, com livro O Pipoqueiro João. De lá pra cá, lançou mais de vinte obras, entre romances, biografias, ensaios e livros infanto-juvenis. Além de ter adaptado e traduzido diversos títulos. Foi a única brasileira selecionada para a oficina de roteiros Como contar um conto, ministrada pelo escritor colombiano Gabriel García Márquez, em 2006, na Escuela de Cine y TV de San Antonio de Los Baños, em Cuba. Em 2013, venceu o Prêmio Jabuti na categoria Livro Infantil, com Ela Tem Olhos no Céu. Tem livros publicados em diversos países, como a Inglaterra, os EUA e a França, entre outros.

Serviço:

Projeto InConto Marcado – Espetáculo ‘Plantou Palavra, Colheu Poesia’

Incontomarcado.com.br

Atividades on-line

22/08/2021 – Relançamento do 1º episódio do espetáculo ‘Plantou Palavra, Colheu Poesia’ pelo site incontomarcado.com.br

23/08/2021 – Abertura das inscrições para a Oficina Online de Teatro para Professores no site

29/08/2021 – Lançamento do 2º episódio do espetáculo ‘Plantou Palavra, Colheu Poesia’ no site

06/10/2021 – Lançamento do Site InConto Marcado completo + Oficina on-line de teatro para professores + Lançamento do 3º episódio do espetáculo ‘Plantou Palavra, Colheu Poesia’ no site

13/10/2021 – Lançamento do 4º episódio do espetáculo ‘Plantou Palavra, Colheu Poesia’ no site

20/10/2021 – Lançamento do 5º episódio do espetáculo ‘Plantou Palavra, Colheu Poesia’ no site

27/10/2021 – Lançamento do 6º episódio do espetáculo ’Plantou Palavra, Colheu Poesia’ no site

Circulação presencial de ‘Plantou Palavra, Colheu Poesia’ em 6 cidades do RJ – 2 sessões por dia

Duração: 55 minutos

Classificação etária: Livre (a partir de 5 anos)

Gratuito

05 de novembro – Petrópolis

10 de novembro – Teresópolis

16 de novembro – Nova Friburgo

19 de novembro – Bom Jardim

24 de novembro – Santa Maria Madalena

03 de dezembro – Niterói

Oficina de Teatro Para professores – presencial

04 de novembro – Petrópolis

09 de novembro – Teresópolis

15 de novembro – Nova Friburgo

18 de novembro – Bom Jardim

23 de novembro – Santa Maria Madalena

02 de dezembro – Niterói