Teatro Rival Refit apresenta Arranco de Varsóvia – show presencial

0
209

O Arranco de Varsóvia vai comemorar 25 anos de carreira com o show “Ô, dindinha!” nesta sexta-feira (25/03), no palco do Teatro Rival Refit.

Hoje formado por Andréa Dutra, Cacala Carvalho e Paulo Malagutti Pauleira, o grupo vai homenagear a saudosa Beth Carvalho, que participou do primeiro CD do grupo, lançado em 1997. Ela cantou na faixa “O Arranco de Varsóvia”, música de Paulo Malaguti Pauleira, e se tornou madrinha do grupo.

A direção artística do espetáculo é de Túlio Feliciano, e a direção musical, de Carlinhos Sete Cordas, que durante anos fez parte da banda da cantora homenageada. Para o show, o Arranco fez uma seleção com sucessos e músicas menos conhecidas do repertório de Beth Carvalho.

SERVIÇO:

Show “Ô, dindinha!” – Arranco de Varsóvia

Dia 25 de março  – sexta-feira, às 19:30  (Abertura da casa: uma hora antes do show)

Local: Teatro Rival Refit – Rua Álvaro Alvim, 33/37 – Centro/Cinelândia – Rio de Janeiro

Ingressos entre R$ 35,00 e R$ 70,00

LINK: https://bileto.sympla.com.br/event/71490/d/126247

Horário de funcionamento da bilheteria:

De quarta a sexta – Das 15 às 20h

Sábado e feriados –  Das 16h às 20h30

PROTOCOLOS DE SEGURANÇA CONTRA COVID-19:

Segundo decreto municipal sobre o público nas casas de espetáculo, o Teatro Rival Refit está autorizado a funcionar com lotação máxima, mas continuará com os processos de higienização e sanitização, feitos por empresa especializada antes de cada show.

O uso de máscara não é mais obrigatório, mas ainda é necessário apresentar o comprovante de vacinação – carteira de vacinação digital do ConecteSUS, a própria caderneta física ou um papel timbrado da Secretaria Municipal de Saúde – para entrar no Teatro Rival Refit. A regra da Prefeitura do Rio vale para todas as casas de show e outros lugares públicos fechados.

O Teatro Rival Refit começa a receber o público uma hora antes, com som ambiente, ar condicionado e serviço de bar, seguindo, claro, todos os protocolos sanitários para proteger público, artistas e funcionários.

Na entrada, todos terão temperatura aferida, e haverá dispensers de álcool 70° em gel distribuídos pelas dependências do teatro.

Cuidar da própria saúde e da saúde dos outros é também uma forma de resistência.