Theatro Municipal do Rio de Janeiro presta uma homenagem à Tatiana Leskova que completa 100 anos 

0
178

Não é possível pensar na história do balé no Brasil sem enaltecer esse nome: Tatiana Leskova. E o Theatro Municipal do Rio de Janeiro está homenageando a grande dama da dança que, no dia 6 de dezembro, completa um século de vida! No meio profissional, ela é conhecida como Dona Tânia, já que na Rússia Tânia é um diminutivo carinhoso para quem tem o nome de Tatiana. Muito exigente, a lendária bailarina e coreógrafa foi uma profissional e tanto na carreira de inúmeros profissionais como Aldo Lotufo, Berta Rosanova, Nora Esteves, entre muitos outros. Leskova chegou ao Brasil em 1944, mas foi a partir de 1950 que iniciou os trabalhos no Theatro Municipal. 

“Dona Tânia é uma referência para a arte mundial e conhecê-la é uma grande honra. Essa homenagem feita pelo Theatro enaltece não só a pessoa Tatiana, mas todo seu trabalho em prol da instituição e do ballet. A ela todas as homenagens e aplausos” – celebra a Presidente da Fundação Teatro Municipal, Clara Paulino. 

Para celebrar este momento histórico, no dia 8 de dezembro acontecerá uma homenagem pelos 100 anos de seu aniversário, com direito a uma surpresa dos solistas do Corpo de Baile do TMRJ e da direção do balé da casa, no tradicional Salão Assyrio.

“Uma honra estar à frente do Ballet do Theatro Municipal nesse momento e poder contribuir com esta homenagem, mais do que merecida, a nossa grande mestra Dona Tânia. Sua importância no mundo da dança é tamanha, que transcende a pessoa física, se tornando institucional. Um século de vida na qual dedicou a maior parte em prol da arte! O alimento da alma.” – destaca Hélio Bejani, Regente Interino do Ballet do Theatro Municipal e Diretor da Escola Estadual de Dança Maria Olenewa.

Tatiana coreografou grandes produções, como a ópera Izaht (1952) e o balé Descobrimento do Brasil (1960, juntamente com Eugenia Feodorova e depois em 1961, 1970, 1971, 1974 e 1987), de Villa-Lobos; o balé O Espantalho(1954), de Francisco Mignone; a ópera O Galo de Ouro, versão de M. Fokine, em 1963; a primeira apresentação completa de Giselle, em 1951, com a própria Tatiana protagonizando o espetáculo, e suas diversas remontagens no Municipal. Os mais recentes trabalhos no TMRJ foram: Sagração da Primavera (2013) e Les Sylphides/Raymonda/Sagração da Primavera (2015).

 


Sobre Tatiana Leskova 

 Leskova iniciou os estudos de balé aos 10 anos e aos 14 iniciou a carreira profissional como estagiária no Opéra Comique de Paris. Aos 17 anos, passou a integrar o Original Ballet Russo, uma das principais companhias de dança do mundo, chegando em Londres às vésperas da eclosão da Segunda Guerra Mundial. Entre 1939 e 1944, permaneceu na Companhia, atuando como uma das principais estrelas em turnês na Austrália, Estados Unidos e América do Sul. Em 1944, resolveu morar no Rio de Janeiro, passando a dançar no Cassino Copacabana. Com o fechamento dos cassinos no Brasil, Tatiana criou o Ballet Society, que reunia vários jovens bailarinos. Em 1950, Tatiana se vincula profissionalmente ao Theatro Municipal, iniciando carreira como maître e coreógrafa do Corpo de Baile.  Durante os seus oito anos de gestão, inúmeras inovações foram adotadas e, graças ao trabalho árduo junto aos bailarinos, Tatiana fez do Municipal um grande celeiro de jovens e talentosos bailarinos, tornando o corpo de baile do Theatro célebre e respeitado internacionalmente. Graças a seu talento e bom relacionamento com renomados profissionais da dança, recebeu nas temporadas do Municipal bailarinos como Serge Lifar, Violeta Elvin, John Field, Tamara Toumanova, Norah Kovach e coreógrafos consagrados como Vaslav Veltchek, Nina Verchinina e o lendário Leonide Massine, bailarino que substituiu Nijinsky na companhia de Sergei Diaghlev e coreógrafo do Ballet Russo de Monte-Carlo. Massine atuou nas temporadas de 1955 e 1956 do Municipal. Importantes companhias de balé como a do Opéra de Paris, o American Ballet Theatre e bailarinos do Teatro Bolshoi de Moscou fizeram parte das temporadas do teatro na década de 1950, consolidando o Municipal como um ponto obrigatório das turnês internacionais. Em 2021, o TMRJ apresentou a Exposição Tatiana Leskova “Bailarina de corpo e alma” em homenagem à dedicação de Tatiana. Detentora de diversos prêmios e homenagens, Leskova, recentemente, aos 99 anos, foi Condecorada pelo Brasil com a Ordem do Mérito do Rio Branco. No dia 6 de dezembro de 2022, ela completa cem anos de vida.