Theatro Municipal Palco Livre convida Paulo Bosisio e Carlos Mendes em “O Theatro Municipal do Rio de Janeiro na minha vida”

0
219

Um dos nomes mais representativos da música de concerto no país, violinista e professor de grande parte dos profissionais de orquestras, Paulo Bosisio e o Spalla da Orquestra Sinfônica do Municipal, Carlos Mendes são os convidados do Theatro Municipal Palco Livre da próxima quinta-feira, 29 de outubro, às 15h, no Instagram @theatromunicipalrj. Uma live inédita e repleta de curiosidades.

O Municipal carioca faz parte da história de Bosisio desde a infância. O primo do avô dele, Delgado de Carvalho, foi o compositor da ópera Moema, apresentada na inauguração do Theatro em 14 de julho de 1909. Aos 13 anos, Bosisio foi solista com a Orquestra Juvenil do Municipal, participou inúmeras vezes como solista no palco do Theatro com a Orquestra Sinfônica Brasileira, Orquestra Sinfônica Nacional e Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Aliás, Orquestra com “importância insubstituível” – palavras do mestre do violino. Ele é professor já de duas gerações e os três spallas do Theatro são ex-alunos da classe comandada por Bosisio na Unirio. E tantos outros músicos já aprenderam e muito com ele.

Um dos ex-alunos, é o spalla da OSTM, Carlos Mendes que vai bater um papo com o professor e colega do quarteto Bosisio. Imperdível!

Sobre Paulo Bosisio

Paulo Bosisio é hoje um dos mais destacados nomes no cenário musical brasileiro, como violinista concertista, camerista e pedagogo. Nascido em 1950 no Rio de Janeiro, estudou com Yolanda Peixoto e posteriormente na Europa com Berta Volmer e Max Rostal, como bolsista do Governo Alemão. Formou-se na classe daquele afamado mestre, com grau máximo e distinção, obtendo o diploma de “Konzertexamen”, o título mais alto conferido a um instrumentista na Alemanha. Foi premiado duas vezes em concursos de violino das Escolas Superiores de Música da Alemanha. Na qualidade de concertista, apresentou-se em tournée como solista de orquestra, recitalista e camerista por toda a Suíça e Alemanha, além de diversas cidades da Itália, Grécia, França, Inglaterra, Escócia e Portugal. Solou com todas as maiores orquestras brasileiras e realizou importantes tourneés camerísticas como primeiro violino do “Quarteto Paulo Bosisio”, do “Quarteto da Universidade Federal Fluminense” e com o duo “Paulo Bosisio – Lílian Barreto”. Regeu inúmeras orquestras de câmara, entre elas a “Camerata de Curitiba”, gravando com a mesma o seu primeiro disco de música brasileira contemporânea. É professor da Universidade do Rio de Janeiro (Uni-Rio), e professor convidado em diversos seminários de música por todo o país, e por tantos méritos pedagógicos foi citado pelo crítico de música do “Jornal do Brasil”, Luís Paulo Horta, já em janeiro de 1984, como “aquele que vai se tornando, sozinho, uma verdadeira escola de violinistas”. É fundador do Quarteto Bosisio, com o qual possui um extenso currículo e membro vitalício da Academia Brasileira de Música desde 2007. Alguns de seus alunos foram premiados em importantes concursos internacionais, como os de Vercelli (Viotti) e Zino Francescatti (Marcelle), assim como em todos os concursos nacionais, sem exceções. Bosisio estreou diversas obras em primeira audição, a maioria dedicada a ele, tornando-se um dos mais empenhados executantes de música brasileira contemporânea.Gravou como solista de orquestra e quartetista na Europa e no Brasil, além de gravações para a BBC (Inglaterra) e a Rádio do Oeste Alemão (Alemanha). Em Juiz de Fora, um concurso bienal traz seu nome, “Concurso Paulo Bosisio”, promovido pela Pró-Música de Juiz de Fora. Mereceu da Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro uma “Moção de Louvor”, em reconhecimento aos seus méritos no Exterior.Mereceu do célebre Mestre Max Rostal, considerado na sua época o mais importante da Europa, elogios como “… Bosisio é um excelente violinista com grandes aptidões técnicas, que terá muito êxito como professor, representando minha escola com convicção”.Atualmente ocupa a cadeira vitalícia de n.8 da Academia Brasileira de Música.

Sobre Carlos Mendes

Iniciou seus estudos de música aos oito anos de idade no “Instituto Meninos Cantores de Petrópolis” (Canarinhos). Aos dez anos começou a estudar violino com o professor Carlos Eduardo Moreno nesta mesma instituição e já aos quatorze anos passou aos cuidados do mestre Paulo Bosisio. Aos vinte anos ingressou na UniRio (Universidade do Rio de Janeiro), onde tornou-se bacharel em violino na classe do seu já citado mestre. Dentre vários outros cursos de extensão em performance e didática do violino, destaca-se o convite como bolsista feito pela Académie Européenne de Musique de Tournon (França) por dois anos consecutivos para participar da Orchestre Philharmonique Rhodanien, isto nos anos de 1996, onde teve participação como spalla da orquestra, e também 1997. Ocupa o cargo de spalla da Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal do Rio de Janeiro desde o ano de 2004, integrando ainda a Orquestra Petrobras Sinfônica, onde também vem assumindo importantes cargos, administrativos e artísticos (2008 a 2013 – Conselho Diretor e 2014 até 2019 – Direção Artística). Na música de câmara é integrante do Quarteto Bosisio, do Quarteto Atlas, com o qual apresentou-se em excursão pela Europa no ano de 2018, obtendo grande sucesso de público e de crítica, e ainda do Duo de Violinos Paulo Bosisio. Na área didática, atuou na coordenação das cordas da Fundação CSN, em Volta Redonda, tendo feito parte ainda do quadro de professores de importantes festivais, como, Festival Internacional de Música Colonial Brasileira e Música Antiga (Juiz de Fora – MG) e Festival de Verão dos Canarinhos de Petrópolis (Petrópolis – RJ). Faz parte ainda do corpo fixo de júri do renomado Concurso de Cordas Paulo Bosisio, além de ter sido convidado como júri de bancas de concursos da Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, da Orquestra Petrobras Sinfônica e do Teatro Colón, na Argentina. Como solista tem atuado à frente de diversas orquestras brasileiras, tais como: Orquestra Sinfônica da Bahia – BA, Orquestra Sinfônica do Espírito Santo – ES, Camerata Sesi – ES, Orquestra Petrobras Sinfônica-RJ, Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal do Rio de Janeiro-RJ.

Serviço:

Theatro Municipal Palco Livre, Vale e Petrobras convidam Paulo Bosisio e Carlos Mendes em “O Theatro Municipal do Rio de Janeiro na minha vida”

Data: 29 de outubro – quinta-feira

Live às 15h

Facebook: (https://www.facebook.com/theatro.municipal.3/).

Patrocínio Ouro@valenobrasil e @petrobras