Prefeitura do Rio lança mapa que identifica potencial para instalação de telhados verdes na cidade

0
156

A Prefeitura do Rio, por meio do Instituto Pereira Passos (IPP), lançou um mapa digital que mostra o potencial para instalação de telhados verdes na cidade. Fruto da pesquisa da Dra. Maeva Dang, da Universidade de Tecnologia de Viena (TU WIEN), feita com o apoio do IPP, o mapa aponta que cerca de 14 milhões de metros quadrados – o equivalente a 1.936 campos de futebol – seriam prontamente adequados para a instalação de coberturas verdes intensivas para agricultura urbana dentro da região mapeada, o que poderia alimentar mais de 39% da população do Rio de Janeiro.

“O tipo de parceria que estabelecemos com a Dra. Maeva Dang e seus colaboradores na UNIRIO é exatamente o que buscamos quando recebemos contatos de pesquisadores buscando dados sobre a cidade – construção conjunta de conhecimento e disponibilização do mesmo para o público em geral, em benefício da cidade”, afirma Felipe Mandarino, coordenador técnico de Informações da Cidade do IPP.

De acordo com a pesquisa, se a cidade transformar apenas 53% da sua paisagem de telhados planos em jardins de cobertura, forneceria legumes suficientes para alimentar anualmente todos os habitantes das favelas (aproximadamente 1,4 milhões de habitantes). Além disso, estimularia uma melhor educação alimentar e forneceria legumes frescos diretamente nos pontos consumidores – as casas das pessoas.

A gerente de Estudos Ambientais e das Mudanças Climáticas do IPP, Patrícia Turano de Carvalho, aponta que os telhados verdes são um tipo de solução baseada na natureza que as cidades podem adotar para aumentar sua resiliência às mudanças climáticas. “Se forem feitas hortas, a cidade ainda mitiga emissões do transporte de alimentos por produzir mais perto dos consumidores”, completa.

Com o uso do mapa, é possível identificar locais para telhados verdes em áreas densamente construídas, onde há poucas áreas verdes e espaço disponível. A pesquisa foca nas coberturas planas porque são mais facilmente ajustáveis à maior parte dos sistemas para telhados verdes disponíveis no mercado. Conforme a inclinação da cobertura aumenta, maiores são as dificuldades e custos para instalações estruturais e para o acesso de manutenção.

A Vila Kennedy apresenta o maior número de telhados planos: 22,5%, o que representa 12,7 hectares de telhados. A Cidade de Deus é a comunidade com a segunda maior quantidade de telhados planos: 17,6%, 11,4 hectares. O estudo mostra, ainda, que as zonas de maior potencial de cobertura plana são exclusivamente em áreas onde a densidade populacional é alta ou muito alta. Isso mostra que a agricultura em telhados poderia ser direcionada nessas áreas e beneficiar uma alta densidade de moradores em uma distância curta, com o fornecimento de alimentos locais e frescos diretamente para as residências.

Segundo a Dra. Maeva Dang, a agricultura no telhado pode ser um caminho para a sustentabilidade social e ambiental. “Os telhados verdes oferecem uma ampla gama de benefícios, desde o aumento da biodiversidade na cidade até a contribuição para processos mais sustentáveis. O mapa digital é direcionado a cidadãos e planejadores para moldar colaborativamente projetos de telhados verdes para a cidade do Rio de Janeiro”, explica a pesquisadora.