Saúde realiza pesquisa sobre incidência de coronavírus e imunidade da população no Estado

0
131

 A Secretaria de Estado de Saúde está promovendo, em parceria com Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), uma pesquisa para avaliar a imunidade da população do Estado do Rio de Janeiro contra o coronavírus e a evolução da epidemia no estado. Entre 28 de junho e 12 de setembro, 2 mil pessoas serão testadas em 25 unidades de saúde em todas as regiões do estado. O objetivo é correlacionar a incidência da Covid-19 com fatores demográficos e socioeconômicos.

Para avaliar tanto a situação atual quanto o histórico de infectados, estão sendo realizados exames PCR, testes sorológicos por coleta de sangue e testes rápidos. O primeiro aponta a presença do vírus no momento em que a amostra é colhida, refletindo um cenário mais imediato da contaminação da população; o segundo e o terceiro são capazes de identificar a presença de anticorpos contra a doença, indicando um contato prévio com o vírus, mesmo que não tenham sido manifestados sintomas.

Pela SES, participam do estudo a Subsecretaria de Vigilância em Saúde e o Laboratório Central Noel Nutels. De acordo com o secretário de Estado de Saúde, Alex Bousquet, o estudo favorecerá uma melhor compreensão da dimensão da Covid-19 em diferentes áreas do território fluminense e sua evolução.

– A implementação desses pontos de testagem torna possível traçarmos um perfil das pessoas que já se contaminaram com o coronavírus. Muitas, possivelmente, são assintomáticas. Essa análise epidemiológica mais clara, ao longo de doze semanas, contribui para adoção de medidas de saúde pública, como prevenção da doença, isolamento social e flexibilização de acordo com cada fase – explicou Bousquet.

A amostragem do estudo está sendo feita com pessoas que espontaneamente buscam atendimento em uma das unidades participantes, e selecionadas independentemente de serem suspeitas de contaminação por coronavírus. Para a efetiva adesão à pesquisa, os voluntários devem preencher um formulário pessoal. Assim, será possível analisar e mapear informações como idade, sexo, local de residência, escolaridade, sinais e sintomas mais frequentes na população com infectada ou com prevalência da imunidade contra a Covid.

As amostras serão colhidas quinzenalmente, ao longo de três meses, podendo a pesquisa ser estendida até seis meses. As 25 unidades de saúde que funcionam como pontos sentinela estão localizadas nos municípios de Angra dos Reis, Cabo Frio, Campos dos Goytacazes, Duque de Caxias, Itaperuna, Macaé, Nova Friburgo, Nova Iguaçu, Petrópolis, Resende, Rio de Janeiro, São Gonçalo, Saquarema, Três Rios e Valença.