Secretaria de Estado de Saúde alerta para aumento de casos de dengue no Rio de Janeiro; confira 10 dicas para combater o mosquito Aedes aegypti

0
59

A Secretaria de Estado de Saúde (SES), por meio da Subsecretaria de Vigilância e Atenção Primária à Saúde (SVAPS), faz um alerta sobre o avanço da dengue no estado do Rio de Janeiro. O principal objetivo é conscientizar a população sobre a importância de manter os cuidados no combate à doença. Levantamento da Coordenação de Vigilância Epidemiológica aponta que, nos primeiros meses do ano, o estado registrou um aumento de 115,6% no número de casos de dengue. No fim deste texto, confira 10 dicas para evitar a propagação do mosquito Aedes aegypti.

A análise compara o período de 1° de janeiro a 30 de abril deste ano, quando foram registrados 2.839 casos, com o mesmo período de 2021, quando foram notificados 1.317. Três pessoas morreram com a doença este ano, sendo duas na capital e uma em Santo Antônio de Pádua, no Noroeste Fluminense. Em 2021, foram registrados 2.879 casos de dengue e quatro óbitos. Em 2020, foram 4.435 casos e sete óbitos.

– Diante do cenário epidemiológico da dengue, ficou caracterizado um aumento expressivo de casos registrados em alguns municípios do estado, sinalizando para uma possível situação de alta transmissão. Por isso, pedimos que a população busque a prevenção e apoie as ações da Secretaria, que vem avançando pelo território para evitar novos casos e óbitos – ressalta o secretário de Estado de Saúde, Alexandre Chieppe.

A Região Noroeste apresentou a taxa de incidência da dengue mais elevada. Houve aumento de casos notificados também na capital e nas regiões Metropolitana I, Norte, Serrana, Centro-Sul e Baía da Ilha Grande. Estão sendo monitorados mais especificamente os municípios Seropédica, Carapebus, Carmo, Cordeiro, Quatis e Vassouras, onde a taxa de incidência está acima de 50 casos por 100 mil habitantes. Nas demais regiões houve redução no número de casos.

Ações de controle vetorial estão sendo realizadas nas nove regiões do estado, com distribuição de inseticida, monitoramento das visitas domiciliares realizadas pelos 92 municípios, envio de insumos e cadeiras de hidratação, treinamentos e capacitações presenciais, além de assessoramento das equipes municipais na investigação dos óbitos suspeitos causados por arboviroses, com base no Protocolo de Investigação de Óbitos por Arboviroses Urbanas, do Ministério da Saúde, e visitas pelas equipe do Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (Cievs) e vigilâncias epidemiológica e ambiental, entre outras ações.

A SES lembra sobre a importância da prevenção. É necessário que a população não se esqueça de reforçar os cuidados em casa, como limpar e esvaziar os pratos dos vasos de plantas, manter as caixas d’água, cisternas e outros recipientes de armazenamento d’água bem fechados, evitar deixar garrafas e pneus em locais onde possam acumular água, entre outras medidas. Dez minutos por semana dedicados a eliminar focos do mosquito Aedes aegypti podem salvar vidas. Saiba mais abaixo.

Confira 10 dicas para combater o Aedes:

1 – Não deixe água parada;

2 – Mantenha as calhas limpas;

3 – Não acumule água em vasos de plantas;

4 – Guarde garrafas e baldes virados para baixo;

5 – Coloque telas nos ralos;

6 – Mantenha caixas d’água tapadas;

7 – Guarde pneus em local coberto;

8 – Troque diariamente a água de bebedouros de animais;

9 – Mantenha sacos de lixo bem fechados;

10 – Não deixe acumular água na caixa do ar-condicionado