Rio de Janeiro completa 453 anos

0
661
Um homem anda de bicicleta com o Pão de Açúcar ao fundo na praia de Botafogo, durante o surto de doença por coronavírus (COVID-19), no Rio de Janeiro, Brasil, em 5 de abril de 2020. REUTERS / Pilar Olivares

Neste dia 1º de março de 2018, a Cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro completa 453 anos.

A cidade, que já foi capital do país e também intitulada capital cultural, também conhecida como Cidade Maravilhosa, hoje se expõe como a cidade que está sob intervenção federal na área de segurança pública. Não só a cidade, mas o Estado. Ambos com a imagem maculada.

Vários são os dados negativos que entristecem a cidade: violência, situação social, alto índice de desemprego, grave crise econômica, problemas sérios de gestão pública que vêm se acumulando ao longo de décadas, etc, etc, etc. Tristeza não combina com o Rio nem com o carioca. Aliás, o que é mesmo ser carioca?

Dos problemas, sabemos todos. Nos cabe, pois, buscar soluções.

Reverter o quadro. E a nós, cidadãos do Rio de Janeiro, cabe boa parcela desse recomeço. Nome dessa atitude: cidadania.

A começar pelo respeito às pessoas, a nossa história, nossa cultura, nossa cidade. Precisamos ser solidários. Precisamos escolher, a dedo mesmo, nossos futuros representantes. Que estes se mostrem, efetivamente, capazes e interessados no resgate do nosso Estado. Não apenas no discurso, mas principalmente nas atitudes, em projetos coerentes e viáveis.

E o mais importante: em definitivo – e depois de quase 43 anos – vamos entender que o Estado da Guanabara se transformou na cidade do Rio de Janeiro, ou seja, nossos limites são bem maiores do que supõe. É preciso se promover o desenvolvimento de bairros mais distantes, se ter olhos que lhes vejam. Economomicamente, inclusive, é mais interessante.

Fundamental: é preciso conhecer a cidade do Rio de Janeiro para que planejamento estratégico seja feito, com intuito de recuperar-se a economia, o equilíbrio, o desenvolvimento. Para fazer o Rio de Janeiro voltar a ser a Cidade Maravilhosa.

Mas, tenhamos consciência de que isso depende também de todo cidadão.

Não apenas na hora do voto, mas no seu comportamento diário. Valorizar o lugar onde mora é colaborar com o desenvolvimento de toda a cidade.

O Rio de Janeiro precisa de todos nós, cariocas e moradores da cidade.

Nosso campo de atuação é em cada centímetro de nosso território.

Vamos, todos juntos, trabalhar pelo Rio de Janeiro. Sim, Cidade Maravilhosa. Naturalmente. Como todo Estado do Rio.

O Rio de Janeiro não pede socorro. Pede solidariedade, respeito, cidadania.

Rio de Janeiro: levanta, sacode a poeira, dá a volta por cima!