Carnaval 2021 – CCES Flor da Mina do Andaraí divulgou sinopse do enredo (RJ)

0
356

A Escola de Samba Flor da Mina do Andaraí divulgou a sinopse do enredo para o carnaval 2021 – “Em Romaria a Juazeiro do Norte, a Flor da Mina do Andaraí vem pedir benção ao meu Padim Padre Ciço”, em desenvolvimento pelos carnavalescos Robson Goulart e Paulo 10.

A agremiação desfila pelo Grupo Especial da Liesb, na Intendente Magalhães.

Confira a sinopse.

 


C. C. E. S. FLOR DA MINA DO ANDARAÍ

Presidente: Leandro Azevedo

 

ENREDO: “Em Romaria a Juazeiro do Norte, a Flor da Mina do Andaraí vem pedir benção ao meu Padim Padre Ciço”

Carnavalescos: Robson Goulart e Paulo 10

 

INTRODUÇÃO

O objetivo do enredo é apresentar um festival de cores e celebrações.

Mostraremos um mosaico de festas e manifestações culturais preservando as tradições do Estado do Ceará no Nordeste do nosso gigante Brasil.

Lá pelas bandas do Juazeiro do Norte, o povo revive sua fé e perseverança… o samba em oração trará mensagens de lutas em prool da vida.

Povo que segue em frente, sem olhar os males que ficaram para trás. É tempo de renovação e devoção àquele que sempre estendeu vossas mãos.

Salve meu Padim Padre Ciço… Salve Juazeiro do Norte, lugar onde a fé remove montanhas.

 

1º SETOR: “EM NOME DA CRUZ, ASSIM NASCE JUAZEIRO PELOS CAMINHOS DA FÉ”

Local de perseverança e fé… Assim era o Ceará.

Deus nos guie… Senhor nos proteja.

A missão dos colonizadores era desbravar as terras e mais tarde chegar ao local que futuramente receberia o nome de Juazeiro do norte e ali como diversos pontos do Brasil, fundaram a catequese no intuito de evangelizar os índios Cariri.

Índios esses que na labuta se dedicavam ao artesanato de cerâmicas e a plantação abundante de cana de açúcar.

A história de Juazeiro está definida na literatura, muitos contos e lendas faz de Juazeiro um lugar marcante na história do Ceará.

Leandro Bezerra Monteiro, cujo marco foi a constituição de uma Capela em homenagem a Nossa Senhora das Dores em sua fazenda na região de Juazeiro. Santa essa que se torna Padroeira da cidade.

O Padre Pedro Ribeiro trabalhava na catequização do povoado de Juazeiro do Norte um lugar onde sempre há fé e esperança.

Entre tantos feitos, a missão estava apenas começando, Capuchinhos Franciscanos sabiam que a maior missão naquele lugarejo era catequizar os nativos dessa terra que futuramente se tornaria sagrada.

Em nome do cristianismo tudo valia: teatro popular, música, cantos, coral, autos de fé e encenações.

Mas Juazeiro é muito mais abençoada… Oh meu Juazeiro do norte, mais uma vez eu te imploro e te rogo.

 

2º SETOR: “UM JUAZEIRO FESTEIRO, GENTE MISTURADA NUM RITUAL QUE NOS LEVA A FÉ”

Em terras de Juazeiro tem artes, tem culturas.

A alegria paira no ar, romeiros de alma festeira numa imensa fé que remove montanhas.

São culturas que com o tempo surgiram na região elevando a alegria à toda população para o alívio da dor ao pisar no chão rachado pela seca que maltratava parte da região.

Uma diversidade plural de culturas que até hoje continua sob o convívio do povo de Juazeiro.

Louvai, dançai e celebrai, pois os festejos na região eram pra lá de bom.

Vários grupos folclóricos a se apresentar… Lapinha, Maneiro pau, bandas cabaçais.

O Boi Bumbá também aparece nos festejos da região divertindo a multidão.

Do Reisado peço com fé para minha alma abençoar… seus coloridos de fitas refletem sob os espelhos que servem de adorno nas vestimentas de seus participantes. Uma imensa viagem onde o sagrado se transforma em danças e encenações.

É chegado São João e num colorido de bandeirinhas e balões, outra atração na região.

Tudo lindo e colorido, assim é o folclore do meu querido Juazeiro.

 

3º SETOR: “RELIGIOSIDADE PLURAL… FÉ E DEVOÇÃO AO MEU PADIM”

Na Capelinha de Nossa Senhora das Dores… Padroeira de Juazeiro. Nosso Padre Ciço reformou a capela e depois começou um intenso trabalho pastoral.

Padim padre Ciço, moralizou os costumes no vilarejo de Juazeiro.

Padre Cícero, falava que não adiantava só orar, tinha que trabalhar também e que cada casa poderia ser uma fonte de renda.

“Ora e labora

Em cada casa uma oficina

E em cada oficina

Um oratório”

(Padre Cícero)

Ó meu Padim … protegei-me, guiai-me, numa procissão de fé, romeiros pela rua a peregrinar.

Terra sagrada, solo abençoado onde todos os caminhos nos levam à fé.

Em procissão velas acesas, fitas, santinhos, flores… tudo em devoção ao nosso Padim.

Juazeiro, terra onde a fé é o alimento da razão, que dá equilíbrio a todos os seus devotos pela graça alcançada.

Os caminhos são muitos, mas o ponto de chegada é um só.

Padim meu Padre Ciço, que sua estátua reine como santo abençoado que tu és. Faça do seu monumento de fé nossa casa de oração.

Encha nossos corações de misericórdia, amor e devoção.

A Flor da Mina do Andaraí, se transforma num turbilhão de fé.

Padim meu Padre Ciço… Rogai por nós me ponho de joelhos diante a ti sinto meu tamanho diminuir e minha espiritualidade aumentar.

A fé que remove montanhas… esse é o meu Juazeiro do Norte.

Povo que anda com fé, pois a fé não costuma falhar.

#Amém#