EEDMO completa 96 anos e junto com o TMRJ comemora uma semana de atividades em homenagem ao Dia Mundial da Dança

0
255

A mais antiga instituição de dança clássica do país está de aniversário. São 96 anos proporcionando uma formação reconhecida no Brasil a milhares de alunas que já passaram pela Escola Estadual de Dança Maria Olenewa – EEDMO como as primeiras bailarinas do Theatro Municipal Márcia Jaqueline, Claudia Mota, Juliana Valadão, Nora Esteves, o primeiro bailarino Cícero Gomes, além de tantos outros importantes representantes da dança nacional e internacional: Márcia Haydée, Dennis Gray, Eleonora Oliosi, Irene Orazem, Aurea Hammerli e a primeira bailarina negra do Municipal, Mercedes Baptista. Até hoje, a formação dos alunos é gratuita e a Escola, conta com um currículo bem abrangente de matérias como Dança Caráter, Repertório, Pas de Deux, Composição, Dança Contemporânea, Música, História da Arte, História da Dança, Terminologia, Comportamento e Atitude profissional.

Depois de nove anos completamente envolvida com o mundo da dança, a estudante de balé chega a graduação e, a partir daí, está pronta para o mercado de trabalho. Atualmente, a EEDMO possui aproximadamente 300 alunas.

Sobre Maria Olenewa

A bailarina russa estreou na Ópera de Zemin, logo após ingressou na Cia de Anna Pavlova onde se tornou primeira bailarina. Contratada por Leonide Massine, excursionou por diversos países da América do Sul, tendo se apresentado no Brasil em 1921. No Brasil, estabeleceu-se em 1927, fundando a primeira escola profissionalizante de ballet: A Escola de Danças Clássicas do Theatro Municipal do Rio de Janeiro (atual EEDMO), oficializada em 1931. Assim, uma geração pioneira de bailarinos foi formada, tornando possível a criação do Corpo de Baile do Theatro Municipal, em 1936. Maria Olenewa deixou o Rio de Janeiro em 1943 para assumir o cargo de diretora da Escola Municipal de Bailados em São Paulo. No Rio de Janeiro, a Escola de Danças Clássicas do Theatro Municipal recebeu seu nome em 1982, tornando-se: Escola Estadual de Dança Maria Olenewa. Sua biografia integra a série memória do Theatro Municipal – lançada em 2001 – Maria Olenewa: a sacerdotisa do ritmo, de Adriana Pavlova.

 

A dança também toma conta do Theatro Municipal na sexta-feira, dia 28 de abril, em única apresentação gratuita, no Salão Assyrio, com o espetáculo da Márcia Milhazes Companhia de Dança. Depois de ser selecionado no edital Municipal em Cena, Paz e Amor II revela dois solos que se entrelaçam e se comunicam para falar da alma humana. É uma declaração de amor, esperança no outro e liberdade para um mundo mais sensível. O espetáculo contará com a presença da pianista japonesa Yuka Shimizu. 

E para completar a comemoração, a Cia. Bemo, Companhia formada por alunos e ex-alunos da Escola Estadual de Dança Maria Olenewa vai apresentar “Ballet Suites: Paquita e Raymonda”, dois clássicos do ballet de repertório, nos dias 6 de maio, sábado, às 19h e 7 de maio, domingo, às 17h, no palco principal do Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Ingressos à venda através do site (theatromunicipal.rj.gov.br) e na Bilheteria do Theatro.

“Com este novo espetáculo, da Cia. BEMO, encerramos as comemorações dos 96 anos da nossa EEDMO, sempre acreditando que novos tempos virão e com isso novas possibilidades para seguirmos firmes no propósito de nos utilizarmos da nossa arte, o Ballet, como ferramenta para educar” – conclui Hélio Bejani, Diretor da EEDMO e do Ballet do Theatro Municipal.