Parceria de Rafael Gigante vence disputa de samba-enredo do GRES União de Maricá

0
199

“É o povo no poder com orgulho de falar: Maricá é meu país! Meu país é Maricá!”. Os versos da parceria de Rafael Gigante vão embalar a estreia da União de Maricá na Marquês de Sapucaí, pela Série Ouro, em 2024. Numa grande final, a composição foi a escolhida para ser a trilha sonora do enredo “O Esperançar do Poeta”, do carnavalesco André Rodrigues, na Série Ouro da Liga RJ.

Quatro sambas chegaram à final após 20 serem inscritos. Ao todo, foram três etapas de disputa, sem qualquer tipo de taxa para os compositores e com um prêmio de R$ 75 mil para os vencedores.

Conheça o samba da União de Maricá para 2024

Compositores: Rafael Gigante, Vinicius Ferreira, Junior Fionda, Camarão Neto, Victor do Chapéu, Jefferson Oliveira, Marquinho Abaeté & André do Posto 7. 

Neguinho, vadio, vagabundo
Sou muito mais que isso
Posso ser o que quiser
Talento, pé descalço, corre mundo
Todos que me excomungaram
Têm que aplaudir de pé
No meu barraco, luxo é ter educação
Saúde, boa prosa, um prato de feijão
Progresso é feito pelos meus iguais
Você sabe quem é quem quando vêm os temporais

Logo eu, de viola em bandoleira
Entre tantas saideiras
Com meu sorriso aberto
Logo eu, que vim da comunidade
Encontrei nessa cidade um paraíso certo

Caneta e papel, um sonho revel
Não ser mais um problema social, meu irmão
Pra ganhar o pão, compus meu destino
Nos versos do reverso mundo cão
Iluminados pela lua de Ogum
Nós somos muitos, mas não somos “qualquer um”
No esperançar do menestrel
Vai meu desejo febril
Sou eu mais um Guará desse Brasil
O amor venceu pelos Guarás desse Brasil

Escrevendo à luz de velas, operário da canção
Construindo a poesia que edifica o coração
É o povo no poder com orgulho de falar:
Maricá é meu país! Meu país é Maricá!

 

Em 2024, a União de Maricá será a sexta escola a desfilar pela Série Ouro, na sexta-feira, dia 9 de fevereiro, na Marquês de Sapucaí. O enredo “O Esperançar do Poeta” vai fazer uma grande homenagem ao ato de compor, tendo Guaracy Sant’Anna, o Guará, como fio condutor.