Estado participa da campanha Literatura Acessível Contra a Fome

0
656
Rio de Janeiro - RJ - 24/06/2021 - A Primeira-dama Analine Castro na Abertura da Campanha Literatura Acessível Contra a Fome. Foto: Rafael Campos

O Governo do Rio de Janeiro aderiu à campanha Literatura Acessível Contra a Fome, realizada pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa, a ONG RioSolidario e o Instituto Incluir. A iniciativa promove a troca de dois quilos de alimentos não perecíveis por uma publicação infantil. O lançamento da ação aconteceu nesta quinta-feira (24/06), no Palácio Guanabara, e contou com a presença da primeira-dama do Estado e presidente de honra do RioSolidario, Analine Castro.

– É um grande prazer ter o RioSolidario como ponto de troca dessa campanha e destinar os alimentos para instituições parceiras, que precisam de apoio para manter seus projetos e ações de combate à fome. É preciso muita união e solidariedade para vencermos a pandemia e os desafios que momentos como esse apresentam, como a falta de comida para muitas famílias do nosso estado – explicou a primeira-dama.

Viabilizado pela Lei de Incentivo à Cultura, o projeto Coletânea Literatura Acessível tem como mote “uma criança com um livro na mão, e uma família com alimento no prato”. Destinadas ao público infanto-juvenil, as publicações trazem histórias sobre a vida de pessoas com deficiência, os obstáculos encontrados, processos de emancipação e transformação.

– Essa campanha é extremamente oportuna, porque atende a dois fortes anseios que temos. O primeiro é a necessidade de transformar, através da literatura, a relação que cada um tem com o outro, possibilitando uma maior empatia e entendimento das diferenças. O segundo é combater a fome, promovendo o desenvolvimento do nosso Estado do Rio, que tem tudo para ser um lugar mais justo, fraterno e acolhedor para todos – disse a secretária de Cultura e Economia Criativa, Danielle Barros.

Os livros

Nas obras, escritas pela psicóloga e empreendedora Carina Alves, presidente do Instituto Incluir, os protagonistas, fictícios, têm algum tipo de deficiência, e ensinam de forma lúdica a importância da inclusão. Os livros no formato e-book também podem ser acessados de forma gratuita pelo portal www.institutoincluir.com.br.