16º FIL – Festival Internacional Intercâmbio De Linguagens, no Teatro Riachuelo

0
340
SANTA MADERA - 
de et avec Juan Ignacio Tula et Stefan Kinsman - Regards de Mathurin Bolze et Séverine Chavrier -

Son : Gildas Céleste -
Lumières : Jérémie Cusenier -
Costumes : Fabrice Ilia Leroy - Compagnonnage : Compagnie MPTA - Lieu : Théâtre du Bois de l'Aune - Ville : Aix en Provence - Le 20 01 2017 - Photo : Christophe RAYNAUD DE LAGE

O Festival Internacional Intercâmbio de Linguagens (FIL) completa 16 anos em 2018 e, nesta edição, traz 13 atrações internacionais e nacionais entre espetáculos, oficinas, masterclass e diferentes formatos de experiência artística. Idealizado por Karen Acioly, o festival, que já faz parte do calendário cultural do Rio de Janeiro, vai integrar a família inteira com atrações curiosas e inovadoras entre 12 e 21/10.

O espetáculo francês “Santa Madera” abre o festival no Dia das Crianças (12/10), 12 de outubro, no Teatro Riachuelo. Aclamada na Europa e inédita no Brasil, a atração é indicada para crianças a partir de 6 anos e traz dois artistas circenses criando jogos utilizando a “Roda Cyr” (objeto circular circense que cria movimentos quase impossíveis, dando ao espectador o encantamento da ilusão de ótica). A performance explora as relações humanas e mergulha em sentimentos como perdão, fraternidade e  tolerância. Outra atração muito especial é o espetáculo “Exceções à Gravidade” (+ 6 anos), do americano Avner Eisenberg, um dos maiores palhaços de todos os tempos.

Na apresentação, que acontece dia 14/10 no Teatro Riachuelo, Avner dissolve os limites entre perder e ganhar.

O FIL também ocupa o Espaço Cultural Sérgio Porto entre 13 e 21 de outubro. Com humor e leveza, o espetáculo francês “Meninas e Seda” (+5 anos) critica as obsessões estéticas impostas às meninas desde a primeira infância. A apresentação, que será feita em Português e em Francês, acontece dia 13. E para os pequenos, a partir de 3 anos, “Lua Gigante” mistura teatro visual, circo contemporâneo e teatro de sombras. No palco, uma bicicleta voadora que sobe em direção à Lua,  livros que viram pássaros, nuvens de algodão-doce e discos voadores.

Para os adolescentes, o destaque da programação é a peça “Quando As Pessoas Andam em Círculos” (+ 16 anos). A fábula teatral tem como tema o medo e a angústia no mundo contemporâneo, trazendo um olhar sobre como lidamos com as incertezas e inseguranças que a modernidade propõe.

Outras atrações da edição de 2018 são o FIL Online, Palco Aberto, leitura e rodas de conversa, masterclass com a Cia MPTA, oficina “Circo Futuro”, entre outras. Já de olho em 2019, o festival lança o FIL Incubadora de Projetos, que acontecerá online, de janeiro a maio, e será uma espécie de consultoria aberta do FIL para projetos voltados aos novos públicos. E, em junho do ano que vem, o FIL Nacional e Internacional tem como meta a exportação e a internacionalização de artistas locais e nacionais, com a participação de programadores internacionais que virão ao Brasil selecionar espetáculos para seus festivais.

PROGRAMAÇÃO

DESTAQUES NO TEATRO RIACHUELO

(de 12 a 15 de outubro)

De 12 a 15 de outubro, o FIL – Festival Internacional Intercâmbio de Linguagens ocupa o Teatro Riachuelo, onde apresenta o espetáculo de abertura, “Santa Madera”, inédito no Brasil. A obra traz o que há de mais inovador do circo contemporâneo francês, para hipnotizar a plateia do FIL, com sua poética Roda Cyr.

O FIL apresenta ainda “Exceções à Gravidade”, de um dos maiores clowns do circo tradicional americano, o Excêntrico Avner.

PRINCIPAIS ATRAÇÕES:

ESPETÁCULO: SANTA MADERA

(Companhia MPTA)

Origem: França

Linguagem: circo contemporâneo / Roda Cyr Todo o público + 6 anos

Duração: 65 minutos

Teatro Riachuelo

Data:  Dias 12/10, sexta-feira, às 17h; e 13/10, sábado, às 19h

* Link de venda: www.ingressorapido.com.br/TeatroRiachuelo/Ingressos

Inédito no Rio de Janeiro, Santa Madera – uma criação inovadora e surpreendente da companhia francesa MPTA – é destaque na programação e celebra a abertura do FIL 2018, no Teatro Riachuelo.

Baseados no poema “Eu quero falar de um amigo, René Char“, os artistas circenses Juan Ignacio Tula e Stefan Kinsman tiram o fôlego da plateia, ao criar jogos e variações poéticas – sobre a amizade, semelhanças, diferenças, fraternidade – utilizando a “Roda Cyr”, que é uma das disciplinas de circo mais espetaculares e perigosas. Santa Madera explora as relações humanas e seus sentimentos num mergulho onde cabem as disputas, o perdão, a fraternidade e a tolerância, refletindo esses antigos rituais que invocam o invisível e o mágico.

Jogando com suas semelhanças e diferenças, os dois acrobatas compartilham suas perguntas sobre identidade e o duplo.

Sobre a “Roda Cyr”

No espetáculo os artistas usam de mil e uma maneiras possíveis a “Roda Cyr” – objeto circular circense que cria movimentos impossíveis para os corpos humanos, dando ao espectador a vertigem e o encantamento da ilusão de ótica. Inventada por Daniel Cyr, do Cirque Eloise, do Canadá, no final do século 20, a “Roda Cyr” é uma das disciplinas de circo mais espetaculares e perigosas. Como a figura do famoso desenho de Leonardo da Vinci, o artista está contido em um pequeno arco de aço, braços e pernas esticados, girando como um giroscópio.

Mais sobre o espetáculo

“Duas andorinhas, silenciosas e faladoras, que compartilham o infinito do céu e do mesmo teto.”

Santa Madera – madeira sagrada em espanhol – é um espetáculo enraizado nas tradições dos povos indígenas da América do Sul que, durante festivais populares, rituais de evocação da espiritualidade em cerimônias, usavam uma madeira sagrada – o Palo Santo – para afugentar os maus espíritos e celebrar os laços fraternos que unem sua comunidade.

Através de movimentos precisos, essa espécie de valsa hipnótica cria para o espectador uma cartografia imaginária no espaço: são linhas traçadas pela roda, pelos corpos, mãos e pés dos artistas imprimindo significados e leituras diversas, onde cada espectador é autor ativo da história.

Santa Madera é uma história que usa o movimento como coreografia territorial e se apropria da paisagem sonora como ponte para perguntas sobre o multiculturalismo, através da mistura de gravações de sons criados pela roda, gravações da América Latina (Chile e Costa Rica), Itália e França.

Criado em Bois de l’Aune no dia 20 de janeiro de 2017 como parte da Bienal Internacional de artes do circo de Marseille Provence Alpes Côte d’Azur.

Sobre a companhia

A associação les Mains, les Pieds et la Tête Aussi (Compagnie Mpta) foi fundada em Lyon (região Rhône-Alpes), em 2001, por Mathurin Bolze, Jérôme Fèvre e Julie Granja. O seu trabalho centra-se na investigação, criação e promoção do circo contemporâneo. A Compagnie Mpta realiza regularmente suas criações, projetos colaborativos e trabalho de aprendizes na França e no exterior.

Ficha técnica

Criado, dirigido e executado por Juan Ignacio Tula e Stefan Kinsman Conselheiros Artísticos: Mathurin Bolze & Séverine Chavrier Design de som: Gildas Céleste Design de iluminação: Jeremie Cusenier

Figurino: Fabrice Ilia Leroy

ESPETÁCULO: EXCEÇÕES À GRAVIDADE

(Avner, o Excêntrico)

Origem: EUA

Linguagem: circo tradicional/ Clown

Todo o público + 6 anos

Duração: 60 minutos

Teatro Riachuelo

Data:  Dia 14/10, domingo, às 17h

* Link de venda: www.ingressorapido.com.br/TeatroRiachuelo/Ingressos

Como uma partitura precisa de preciosas gargalhadas, Avner dissolve os limites entre perder e ganhar. O que é mais importante para o palhaço?

E se o palhaço é a nossa imagem refletida no palco, o que é mais importante para nós? O que somos ou a nossa imagem para o outro? Sendo aquele que não consegue se enquadrar às normas da sociedade porque é um perdedor nato, o palhaço inverte a lógica dos fatos. Chama a atenção, ganha em afeto, divide o público entre o amor e a pena.

“Exceções à Gravidade” desafia as barreiras de linguagem e cultura e tem se apresentado por todo o mundo.

Ficha técnica

Atuação, Roteiro e Direção: Avner Eisenberg Preparação Vocal: Julie Goell

Músicas: Banda: The Klezmorim / Músicas: Moldovanke (07 minutos) e Kramtweiss Steps Out (05 minutos) / Álbum: Metropolis Direção de Produção: Pedro de Freitas Apoio Institucional Funarte

DESTAQUES NO ESPAÇO CULTURAL SÉRGIO PORTO (de 13 a 21 de outubro)

De 13 a 21 de outubro, o FIL – Festival Internacional Intercâmbio de Linguagens – segue com sua programação no Espaço Cultural Sérgio Porto, um espaço que recebe há anos o evento. Aqui, o festival apresenta o espetáculo “Meninas e Seda”, da atriz, marionetista e diretora francesa Séverine Coulon; e os brasileiros “Quando as pessoas andam em círculos” e “Lua Gigante”; além de outros formatos de atrações.

PRINCIPAIS ATRAÇÕES:

ESPETÁCULO: MENINAS E SEDA (FILLES & SOIE) (Séverine Coulon e o Théâtre à la Coque)

Origem: França

Linguagem: teatro visual + sombras + objetos + contos Todo o público + 5 anos

Duração: 40 minutos

Espaço Cultural Sérgio Porto

Data:  Dia 13/10, sábado, às 16h30 e às 19h30

Anne não gosta de sua pele e acha que encontrará a felicidade num vestido. Será que ela poderia ter a pele da Branca de Neve ou de uma sereia? Com humor e leveza, o espetáculo faz uma crítica às obsessões estéticas impostas às meninas desde a mais tenra idade. Qual será sua pele? Anne não cabe nas roupas das princesas e escorrega nos sapatos das heroínas. Como vai poder se transformar em uma? O espetáculo convida garotas, garotos e adultos a refletirem sobre o feminino e o corpo da mulher.

*O espetáculo será falado em português e francês.

Ficha técnica

Performance: Séverine Coulon

Participação especial: Madá Nery

Autoras: Séverine Coulon e Louise Duneton

Adaptação: a partir do livro « Les trois contes »,  de Louise Duneton

Direção: Séverine Coulon

Colaboração artística: Louise Duneton

Cenografia: Olivier Droux

Coreografia: Laetitia Angot

Compositor Música original: Sébastien Troester Designer de luz: Laurent Germaine Assistente de direção em teatro do objeto: Benjamin Ducasse Direção de palco: Stéphanie Petton

Fotografia: Jean Henry

ESPETÁCULO: QUANDO AS PESSOAS ANDAM EM CÍRCULOS (Artesanal Cia. De Teatro)

Origem: Brasil

Linguagem: teatro

Todo o público + 16 anos

Duração: 60 minutos

Espaço Cultural Sérgio Porto

Data:  Dias 14 e 15/10, domingo e segunda-feira, às 20h30

“Quando as pessoas andam em círculos” é uma fábula teatral que tem como tema o medo e a angústia no mundo contemporâneo, trazendo um olhar sobre como lidamos com as incertezas e inseguranças que a modernidade propõe. A trama acontece em uma “balada”, onde os personagens precisam enfrentar questões pessoais que geram tensões e ameaças constantes, ao mesmo tempo que a iminência de um atentado terrorista põe em risco a segurança de todos os jovens presentes na festa.

Mais sobre o espetáculo

Os personagens apresentados na peça refugiam-se na virtualização de suas próprias identidades, deixando de existir como seres reais, transformando-se em objetos que são percebidos pelos outros no seu aspecto mais simples e imaturos. Sem mitos que o ajude a construir sua personalidade, eles devem lidar com a complexidade dos tempos atuais, assolados pela angústia e solidão crescentes.

A dramaturgia – desenvolvida a quatro mãos após uma intensa pesquisa do que há de mais expressivo no teatro jovem contemporâneo europeu –

apresenta um texto ágil, instigante e inovador, que não oferece

respostas prontas e instiga uma reflexão mais profunda sobre os temas apresentados.

“Quando as pessoas andam em círculos” propõe uma reflexão sobre o mundo contemporâneo, tendo como premissa a necessidade de construirmos novos mitos que nos auxiliem a atravessar tempos aparentemente obscuros e conturbados, além de preencher o desejo da “Artesanal Cia.

de Teatro”  em dialogar com a plateia jovem, afirmando a maturidade atingida pelo grupo em suas duas décadas de trabalho.

A companhia

A Artesanal Cia. de Teatro é um grupo premiado, referência nacional e internacional em seus espetáculos infanto-juvenis, com passagens por vários estados brasileiros e por países como Alemanha e China. A Artesanal Cia. De Teatro completa 23 anos de atuação nesse ano.

Ficha técnica

Dramaturgia e texto: Daniel Belmonte e Gustavo Bicalho

Elenco: Bruno Jablonski, Ciro Acioli, Igor Orlando, Isis Pessino, Leonardo Bianchi e Mag Pastori

Direção: Gustavo Bicalho e Henrique Gonçalves Assistência de direção: Daniel Belmonte Pesquisa musical: Gustavo Bicalho Direção de movimento e preparação corporal: Paulo Mazzoni Preparação vocal: Verônica Machado

Figurinos: Fernanda Sabino e Henrique Gonçalves

Cenário: Karlla de Luca

Desenho de luz: Rodrigo Belay

Desenho de som: Luciano Siqueira

Produção: Daniel  Belmonte

Direção de produção: Henrique Gonçalves

Realização: Artesanal Cia. de Teatro

www.artesanalciadeteatro.com

ESPETÁCULO: LUA GIGANTE

(Artesanal Cia. De Teatro)

Origem: Brasil

Linguagem: teatro visual + circo contemporâneo + teatro de sombras Todo o público + 3 anos

Duração: 50 minutos

Espaço Cultural Sérgio Porto

Data:  Dias 20 e 21/10, sábado e domingo, às 17h

Sonho de criança: uma bicicleta voadora subindo em direção à lua.

Livros que viram pássaros, nuvens de algodão-doce, discos voadores:

São muitos os objetos que tomam vida nas mãos destes artistas para que o público embarque num mundo onde tudo é possível. Universo lúdico circense em uma simples brincadeira de imaginários.

Ficha técnica

Autor e diretor: João Ferreira

Performers: Adelly Costantini, Camila Moura, Celso José, Guilherme Gomes e Isabel Abrantes

Cenógrafo: Diogo Monteiro

Figurinista: Mariana Elias (Tuca)

Compositor (Música Original): Isadora Medella

Iluminador: Ananda Felippe

Fotógrafo: Renato Mangolin

Pesquisa: Erminia Silva

Operadora de Luz: Tainã Miranda

Operador de Som: João Ferreira

Preparação de elenco e Supervisão cômica: Ana Carolina Sauwen Direção de movimento:  Renata Reinheimer Direção técnica: Daniel Elias Direção de Produção: Adelly Costantini e Luana Lessa

FIL ONLINE

(de 12 a 21 de outubro)

PRINCIPAIS ATRAÇÕES:

PARTICIPE FIL: “Bem no meio” / pesquisa online/ presencial Todo o público + de 5 anos

Onde: Facebook do FIL/online

Data:  18/10, quinta-feira, às 14h30 e 15:30, 17:30, sexta-feira 19/10 , 15 horas , 17:00  Teatro Cacilda Becker Inscrições prévias e envio de depoimentos pelo site: www.fil.art.br Gratuito

Texto e atuação: Karen Acioly

Linguagem: Teatro de objetos e performance

Iluminação: Carlos Lafert

Vídeos : Marih Oliveira e Vítor Souza Lima

Online:

Novo texto de Karen Acioly investigará com as crianças os sentimentos e pensamentos das crianças a respeito de temas como separação dos pais, alienação parental e solidão. A autora convida o público a participar do processo criativo do espetáculo dedicado ao público de 5 a 8 anos; e a ouvir e comentar trechos do texto.

Presencial:

Em uma espécie de iglu, Karen Acioly recebe o público para vivenciar a história de Bem, uma menina cuja separação dos pais a divide ao meio.

O espetáculo fará apresnetações gratuitas para escolas e associações beneficentes.

Apoio Funarte

PARTICIPE FIL: “NextGenerationS”/ pesquisa online Público de 05 a 13 anos Inscrições prévias pelo site: www.fil.art.brGratuito

Primeira fase da pesquisa e projeto online sobre o que pensam nossas crianças sobre o mundo que vivem. Essa primeira etapa do projeto consiste em entrevista acompanhada pelos pais e será realizada após a inscrição no site.

FIL AÇÕES FORMATIVAS e PARTICIPE FIL

(de 12 a 21 de outubro)

PARTICIPE FIL: “Encontro da Literatura infantil e juvenil” (presencial e online) Para estudantes e profissionais Espaço Cultural Sérgio Porto

Data:  20/10, sábado, das 19h às 22h

Inscrições prévias pelo site: www.fil.art.br Gratuito

O encontro vai refletir junto com ilustradores, autores e editores sobre os rumos da literatura para crianças , adolescentes e jovens, em tempos de redes sociais. O evento será transmitido pelo Facebook. Para profissionais e todo o público leitor, com autores e ilustradores diversos.

  PALCO ABERTO – MEIA ENTRADA

Para novos artistas

Espaço Cultural Sérgio Porto – Foyer

Data:  19/10, sexta-feira, das 20h às 22h Inscrições prévias pelo site: www.fil.art.br Vagas Limitadas

Sarau de performances variadas voltado ao público de 15 aos 20 anos.

Máximo de tempo por performance de 4 minutos.

  LEITURA E RODAS DE CONVERSA

Para todo o público

  Espaço Cultural Sérgio Porto – Sala de Exposição

Data:  20/10, sábado, das 15h às 17h

Inscrições prévias pelo site: www.fil.art.br

É importante escutar e também importante imaginar o que se escuta.

Nesta 16ª edição, o FIL convida todo o público a ouvir textos de autores da literatura infantil e juvenil. Com autores e ilustradores diversos.

  PARTICIPE FIL: “Master Class Cia. MPTA” (França / Santa Madera) Para estudantes e profissionais de circo Sala de ensaios do Teatro Riachuelo

Data:  14/10, domingo, das 14h às 16h30

Com: Juan Ignacio Tula e Stefan Kinsman (Argentina e Suíça) Inscrições prévias pelo site: www.fil.art.br Vagas limitadas Gratuito

Por meio de exercícios específicos, variações de movimentos, busca de tons, intensidade e velocidade no espaço cênico, a dupla de artistas propõe ao público participante, o aprofundamento na pesquisa de criação de uma partitura gestual, rítmica, musical e original. O objetivo é começar a compor uma escrita para duos, levando em conta as propostas individuais de cada participante.

  PARTICIPE FIL: Oficina “Circo Futuro”

Parceria Institucional: Intrépida Trupe

Espaço Intrépida Trupe

Data:  a confirmar

Inscrições prévias pelo site: www.fil.art.br Gratuito

É uma plataforma de apoio à criação artística no campo do Circo, construída colaborativamente, por uma rede internacional de operadores, produtores, centros culturais, teatros, escolas de circo, festivais e/ou coletivos de artistas da América do Sul.

O Circo Futuro se insere na paisagem circense como um dispositivo único, por seu foco no processo de criação artística, por seu funcionamento em rede e pela corresponsabilização dos parceiros com o desenvolvimento da arte circense em suas etapas essenciais – da pesquisa à apresentação pública.

O projeto é inspirado no dispositivo europeu Jeunes Talents Cirque Europe – JTCE (atualmente CircusNext), mas preservando as especificidades, as práticas, as identidades, a história, os valores e os objetivos em comum do circo contemporâneo no continente sul-americano.

Realização

Borogodó Empreendimentos Culturais

SOBRE A INVENTORA DO FIL

Karen Acioly se dedica à autoria de projetos e programas multidisciplinares – de formatos originais – para os novos públicos.

Diretora geral de criação e inovação da empresa Borogodó Empreendimentos Culturais, autora e diretora de roteiros audiovisuais , livros e textos premiados é , ainda, curadora de exposições e festivais dedicados à sensibilização de crianças e adolescentes.

Sua história inclui intercâmbios e coproduções internacionais, semeados ao longo de 16 anos do FIL- Festival Internacional Intercâmbio de Linguagens -, que impulsionou, no Brasil, a ópera, o circo contemporâneo, o teatro de animação, as artes digitais ,visuais e cênicas, para crianças, adolescentes e todo o público.

Sua trajetória inclui também a criação do I Centro de Referência Cultura Infância ( Teatro do Jockey) , a curadoria da “Mostra Brasil, juventude transformando com arte” , quatro edições, roteiro e direção do “I Encontro da Diversidade Brasileira”.

Atualmente roteirizou, dirigiu a obra “FaceGenerationS”, com 52 pílulas audiovisuais e a instalação Modo Domo para o site RIOFESTIV.AL.

SERVIÇO

FIL – Festival Internacional Intercâmbio de Linguagens

De 12 a 14 de outubro

Teatro Riachuelo

Rua do Passeio, 38 –Centro

Funcionamento: de terças à domingos, das 12 às 20 horas

Ingressos: inteira R$ 70,00 e meia R$ 35,00

De 13 a 21 de outubro

Espaço Cultural Sérgio Porto

Rua Humaitá, 163 – Humaitá

Funcionamento: de quintas à segundas, das 14 às 22 horas

Informações: (21) 2535-3846

Ingressos: inteira R$ 50,00 e meia R$25,00