Adeus, Marilu Bueno e Danuza Leão

0
56

O Brasil se despediu nesta quarta-feira (22/06) de dois grandes talentos: a atriz Marilu Bueno e a escritora, jornalista, atriz e ex-modelo Danuza Leão.

Marilu Bueno faleceu aos 82 anos de idade,  após complicações no pós-operatório de uma cirurgia no abdômen.

Marilu nasceu no Rio em 27 de fevereiro de 1940, no Rio de Janeiro. Atuava desde os anos 1960 com uma vasta lista de personagens marcantes em sua carreira, sobretudo na televisão e no teatro. Ficou conhecida por papéis cômicos nos folhetins da Rede Globo, como a personagem Margot, em “O Bofe”; Mariinha, em “Estúpido Cupido”; Gilda Duran, em “Sem Lenço, Sem Documento”, exibida em 1977, quando se afastou dos melodramas por seis anos, realizando apenas participações em programas humorísticos.

Em 1983, Marilu retornou às tramas da Rede Globo em “Guerra dos Sexos”, de Silvio de Abreu, vivendo a governanta Olívia. Um dos seus personagens mais lembrados pelo público foi a cômica Tetê, na novela “A Gata Comeu.

Depois de três anos fora da televisão, retornou à Rede Globo, onde participou do remake de “Guerra dos Sexos”, interpretando Olivia Kraus. Em 2016, esteve em “Êta Mundo Bom!”. Quatro anos depois, voltou à TV e atuou em “Salve-se Quem Puder”.

Danuza Leão faleceu aos 88 anos de idade. Ela sofria de efisema pulmonar.

A ex-modelo, jornalista, atriz e escritora, foi uma das personalidades mais importantes da sociedade e da cultura carioca. Danuza nasceu em Itaguaçu, no Espírito Santo, em 26 de julho de 1933. Na década de 1950, iniciou sua carreira como modelo, sendo a primeira brasileira a desfilar no exterior. Irmã da cantora Nara Leão, Danuza também foi jurada de programa de TV, entrevistadora, dona de boutique e produtora de arte.

Como atriz, ela participou, em 1967, do filme “Terra em transe”, de Glauber Rocha, como a personagem Sílvia. Em 1992, Danuza Leão alcançou o sucesso como escritora. Seu livro de etiquetas sociais “Na sala com Danuza”, liderou a lista dos mais vendidos durante um ano. Em 2005,  escreveu o livro de memórias “Quase tudo” (2005),  que recebeu o Prêmio Jabuti; “Danuza Leão fazendo as malas” (2008), também ganhador do Prêmio Jabuti; “Danuza Leão de malas prontas” (2009) e “É tudo tão simples” (2011).

Aos familiares de Marilu Bueno e Danuza Leão, nossos sentimentos de pesar.