Moradores de Queimados começam a receber as cestas básicas do Mutirão Humanitário

0
149

Moradores de Queimados, na Baixada Fluminense, começaram a receber nesta quarta-feira (22/04) as cestas básicas do programa Mutirão Humanitário, que vai atender a quase 1 milhão de famílias. Ao todo dezenove mil kits com alimentos e material de higiene serão entregues às famílias do município que vivem em situação de extrema pobreza, pobreza ou baixa renda, e que estão inscritas no Cadastro Único (CadÚnico). O Mutirão Humanitário foi criado pelo governador Wilson Witzel para ajudar os trabalhadores informais que ficaram sem renda durante o período de isolamento social.

– O Mutirão Humanitário foi uma ação que nasceu no coração do governador Wilson Witzel, para que a fome não fosse outra face triste dessa pandemia. Vão ser distribuídas 939 mil cestas, ou seja, quase 1 milhão de famílias serão atendidas. O Governo do Estado está capitaneando esse projeto e fazendo de tudo para que as pessoas não sofram. Temos parceria com as prefeituras para diminuir os efeitos dessa triste pandemia – afirmou o vice-governador Cláudio Castro, coordenador do Mutirão.

A secretária de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos, Fernanda Titonel, foi a Queimados verificar pessoalmente se o sistema de comunicação com os beneficiários estava funcionando, e disse ter ficado satisfeita com o primeiro dia de distribuição. Como os voluntários ainda estão em teste, a distribuição ocorreu em três locais, mas será ampliada. De acordo com a secretária, o sistema usado pelo Governo do Estado é capaz de identificar os beneficiários que não receberam ou não verificaram os SMS. Esses serão visitados por agentes sociais e receberão as cestas em casa.

– Tentamos fazer todo o possível para provocar o mínimo de deslocamento possível dos beneficiários até cada local de distribuição – explicou a secretária, que ainda indicou o telefone 08000234567, do Disque Cidadania e Direitos Humanos, para as pessoas tirarem suas dúvidas sobre o programa.

Distribuição ampliada

Responsável pelos pais idosos, pela filha e por dois netos, a empregada doméstica Márcia Ferreira, de 48 anos, foi a primeira a receber a cesta básica. Desempregada desde o começo da pandemia, Márcia chegou ao local de distribuição no horário informado na mensagem de celular que recebera na véspera. Para evitar aglomerações, o Mutirão está enviando um SMS para cada beneficiário informando o dia, hora e local que deve receber a cesta. Márcia disse que a ajuda chegou em boa hora.

– Estava fazendo falta. Eu vinha controlando, mas já estavam faltando as coisas que as crianças mais precisam, como leite e biscoitos. O armário estava vazio. Vai ser de grande ajuda – disse.

Quase 70% dos beneficiários convocados para receber suas cestas no CRAS Parque Santiago, em Queimados, compareceram no período da manhã. Não houve longas filas e as pessoas foram orientadas a manter distância entre si, para evitar a disseminação da Covid-19.

Na Escola Municipal José Bittencourt de Oliveira, no bairro Inconfidência, a secretária Fernanda Titonel, entregou pessoalmente a cesta básica ao pintor de manutenção João Carlos Menezes, de 64 anos, desempregado desde setembro. O prefeito de Queimados, Carlos Vilela, também estava presente.

– Agradeço a Deus porque estava vivendo de bicos e, agora, com essa doença, não estou conseguindo arrumar trabalho – disse João, que sustenta a mulher doente.

A dona de casa Sueli Helena Ramos de Miranda, de 52 anos, aprovou o sistema usado pelo Governo do Estado para se comunicar com os beneficiários.

– Foi fácil. Não tivemos problemas para receber o código da cesta. Meu marido foi lá dentro porque estou muito nervosa. Na geladeira da nossa casa só tem ovo – contou Sueli.

A distribuição seguirá na cidade até a próxima quarta-feira (29/04). O Mutirão Humanitário informará os próximos municípios a serem comtemplados com as cestas básicas e os kits de material de higiene.