Dança:  ‘Café não é só uma xícara’, inspirado na obra de Sebastião Salgado em Volta Redonda

0
155

Café não é só uma Xícara, novo trabalho do Grupo Tápias, longeva companhia de dança contemporânea franco-brasileira, fará uma apresentação gratuita na cidade de Volta Redonda no dia 1º de outubro (domingo), às 19h, na GACEMSS (Grêmio Artístico e Cultural Edmundo de Macedo Soares e Silva). A apresentação faz parte da turnê por cidades brasileiras neste segundo semestre de 2023. A narrativa apresenta os movimentos da dança em comunhão com a obra de Sebastião Salgado, que inspirou a coreógrafa e bailarina Flávia Tápias a idealizar e colocar em cena sentimentos e sensações vindas da pesquisa realizada sobre o café, uma bebida tão presente na vida dos brasileiros e que evoca tradições, crenças e espiritualidade. O espetáculo, apresentado pela Brasilcap – uma empresa BB Seguros -, está inserido no Festival Dança em Trânsito 2023 e já passou pelas cidades de Florianópolis (SC), Curitiba (PR), Belo Horizonte (MG), Coronel Fabriciano (MG), Rio de Janeiro, Brasília (DF), São Paulo (SP) e Salvador (BA). 

Café não é só uma xícara é um espetáculo de dança contemporânea acerca do café no que diz respeito ao corpo do homem comum que, onde quer que esteja, partilha sensações similares. Dentro de todas as possibilidades do corpo de resgatar os registros do fotógrafo Sebastião Salgado, a coreógrafa coloca em cena um trabalho que brinca esteticamente com o instante eternizado pela pesquisa realizada em torno da fotografia. Café não é só uma xícara. Café é plantio, colheita, moagem, cheiro bom pela casa quentinha da memória. O elenco é formado pelos bailarinos Hugo Lopes, Dilo Paulo, Samuel Samways, Letícia Xavier, Clara da Costa, Marina Cervo e Flávia Tápias.

“Muitos encontros são permeados pela presença do café. Café é vício, é encontro, é intervalo, é negócio, é mimo, é familiar, é cheiro. Neste espetáculo, apresentamos uma obra sensorial, um exercício lírico perpassado pela fé profana ou religiosa, por crenças, tradições e espiritualidade sem, no entanto, subtrair do ser humano o poder de transformar e recriar sua realidade”, diz Flávia Tápias – que assina a direção artística do espetáculo com a mãe, Giselle Tápias.


Ficha Técnica – Café não é só uma xícara

Direção Artística: Flávia Tápias e Giselle Tápias

Coreografia: Flávia Tápias

Colaboração coreográfica: Giselle Tápias

Ensaiadora: Luciana Ponso

Produção: CDPD-RJ

Criação do Desenho de Luz: Paulo César Medeiros            

Sonoplastia: Isidoro Kutno

Criação e Confecção do Figurino: Luiza Marcier                                

Criação e confecção de Cenário: Mina Quental

Operação de Luz: Louis Radavelli

Assessoria de Imprensa: Alexandre Aquino e Cláudia Tisato

Programação Visual: TRUQUE, Fernanda Valois

Registro Foto e Audiovisual: TRUQUE, Fernanda Valois

Realização: Espaço Tápias

 

 

Sobre o Grupo Tápias

Fundado em 1994 por Giselle Tápias, coreógrafa de renome nacional e internacional, o Grupo Tápias construiu sólida base técnica e incessante pesquisa de linguagem própria ao longo dos quase 30 anos de existência. A partir de 2009, Flávia Tápias assumiu a direção da companhia, que tem até hoje a colaboração artística de Giselle Tápias. 

O Grupo participou de diversos festivais e mostras nacionais e internacionais de dança, como o Lugar à Dança, em Lisboa, Coimbra e Oeiras (Portugal); Danse à Lille, em Lille e Roubaix (França); Itálica Festival Internacional de Danza, em Sevilha (Espanha); Tanec Praga, em Praga (República Tcheca); International Tanzmesse NRW, em Essen e Düsseldorf (Alemanha); Festival Havana Vieja, em Havana (Cuba); Festival OFF Avingon (França); Toure CCAS, em 30 cidades francesas; Dança em Trânsito e Correios em Movimento, no Rio de Janeiro; Mostra Contemporânea do Festival de Joinville, em Santa Catarina; 4 Movimentos, no Distrito Federal e Rio de Janeiro; Festival Internacional de Dança da Paraíba; Festival Internacional de Dança da Amazônia – FIDA; Prêmio Finep, em Tocantins; e o II Fórum Cidade Criativa, no Rio de Janeiro. 

O Grupo também tem participação em residências artísticas importantes na sua trajetória, como na Les Collectif Essone Danse, em Paris (França) ; Danse à Lille, em Lille (França); Théâtre de l’Agora, em Paris (França); Festival OFF Avingon (França); Correios em Movimento e Passarelle vzw (Bélgica); Interplay (Itália); Correios em Movimento, Theatre Pablo Picasso (La Norville) (França); Centre Recollet (Paris); Lês Collectif Essone Dance (França); Micadanse, Centre Recollet (Paris); Cité des Arts (Paris); Les Bords de Scène- (Essone e Paris); e no Centre Recollet, Micadanse (Paris). 

Por vezes, a companhia contou com a participação de coreógrafos convidados nacionais e internacionais na criação de seus trabalhos. Assim foi com Pol Coussement (Bélgica), Thomas Lebrun (França), Stephanie Thierch (Alemanha), Nicole Seiler (Suíça), Mathieu Hocquemiller (França), Rami Levi (Israel), Ricardo Risuenho (PA), Henrique Rodovalho (GO), Ana Vitória (RJ), o diretor de teatro Paulo de Morais (RJ), entre outros. 

Hoje, o Grupo Tápias tem mais de 30 criações coreográficas das quais 11 continuam ativas, em turnê, em seu repertório, que inclui também videodanças e documentários sobre o processo criativo.

 

 Sobre a Brasilcap

Desde 1995, a Brasilcap já distribuiu mais de R$ 2,4 bilhões em prêmios, que abrangem aproximadamente 690 mil títulos contemplados. Atualmente, a Companhia conta com cerca de 2,8 milhões de clientes e um portfólio diferenciado de soluções de capitalização. Como referência de mercado, a Brasilcap entende que é seu papel transformar a realidade da sociedade. Por isso, a companhia incentiva projetos de desenvolvimento, divulgação e preservação da cultura brasileira ao apoiar exposições, peças teatrais, musicais, filmes, entre outras manifestações artísticas, tanto por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura como de forma direta.

 

 Serviço

Café não é só uma xícara

Com o Grupo Tápias

Dia – 1/10, domingo, às 19h

Local: GACEMSS (418 lugares)

Endereço: R. Gen. Oswaldo Pinto da Veiga, 315 – Vila Santa Cecília, Volta Redonda – RJ

Entrada Gratuita

Classificação: Livre

Duração: 60 minutos