MAR abre exposição com mais de 200 esculturas de César Bahia

0
365

Percorrer os olhos pelas diversas imagens que atravessam a produção de César Bahia nos faz refletir sobre seus interesses e a sua forte ligação com a cultura afro-brasileira. Artista baiano, residente de Fazenda Coutos, subúrbio de Salvador, possui tradição artística por ter nascido em uma família de escultores, foi com o pai que ele aprendeu boa parte da técnica do corte, entalhe, o uso do formão e da marreta.  Mais de 200 obras do artista, produzidas entre 2010 e 2023, estarão na exposição “Uma poética do Recomeço”, que inaugura no Museu de Arte do Rio a partir de sexta-feira, dia 28 de abril, e conta com a curadoria de Marcelo Campos, Amanda Bonan, Thayná Trindade, Amanda Rezende, Jean Carlos Azuos em parceria com a equipe do Acervo da Laje. A entrada para a abertura é gratuita.

“A gente tem importantes famílias de escultores de várias gerações que lidam com isso, contudo César vai criando novidades nesse modo de fazer, entre elas o uso da cor, a policromia, que quebra a lógica da tradição e traz para um contemporâneo essas representações. Trazer César Bahia pro MAR é trazer um diálogo mais direto com uma produção que se expande muito pelo Brasil, mas que ocupa um lugar num viés do turismo e ou do comércio direto, então traze-lo pra cá é sublinhar justamente o vínculo dele com a arte contemporânea” afirma Marcelo Campos, Curador Chefe do MAR.

 A exposição contou com a parceria do Acervo da Laje, uma casa, museu e escola que existe há 13 anos em Salvador, na Bahia, e que abriga milhares de obras artísticas, históricas e da memória do território, incluindo o amplo repertório produzido por César Bahia.

 “O Museu de Arte do Rio entende que conceber uma exposição individual de César Bahia é cumprir a missão de ampliarmos as reverberações daquilo que, tradicionalmente, ficou conhecido como arte popular. Trazer tamanha quantidade de esculturas do artista para o MAR é um fato que tanto corrobora a grandeza do Acervo da Laje quanto cria novas possibilidades de interpretação para a sua poética dentro da arte contemporânea brasileira”, avalia Raphael Callou, diretor e chefe da representação da OEI no Brasil.

O Museu de Arte do Rio

Iniciativa da Prefeitura do Rio por meio da Secretaria Municipal de Cultura que contou com a parceria com a Fundação Roberto Marinho para a sua concepção, o Museu de Arte do Rio passou a ser gerido pela Organização dos Estados Ibero-americanos (OEI) desde janeiro de 2021, apoiando as programações expositivas e educativas do MAR a partir de um conjunto amplo de atividades para os próximos anos. “A OEI é um organismo internacional de cooperação que tem na cultura, na educação e na ciência os seus mandatos institucionais, desde sua fundação em 1949. 

O Museu de Arte do Rio, para a OEI, representa um instrumento de fortalecimento do acesso à cultura, intimamente relacionado com o território, além de contribuir para a formação nas artes, tendo no Rio de Janeiro, por meio da sua história e suas expressões, a matéria-prima para o nosso trabalho”, comenta Raphael Callou, diretor e chefe da representação da OEI no Brasil. Após o início das atividades em 2021, a OEI e o Instituto Odeon celebraram parceria com o intuito de fortalecer as ações desenvolvidas no museu, conjugando esforços e revigorando o impacto cultural e educativo do MAR, onde o Odeon passa a auxiliar na correalização da programação. 

O Museu de Arte do Rio tem o Instituto Cultural Vale como mantenedor, a Equinor, o Itaú Unibanco e a Globo como patrocinadores master, e a Nadir Figueiredo como patrocinadora. 

O MAR ainda conta com o apoio do Machado Meyer Advogados e Icatu, todos via Lei Federal de Incentivo à Cultura. 

A Escola do Olhar conta com o patrocínio do RIOgaleão e Cultura Inglesa via Lei Municipal de Incentivo à Cultura – Lei do ISS. A Globo e o Canal Curta são os parceiros de mídia do MAR. 

O MAR conta ainda com o apoio da Prefeitura do Rio de Janeiro e do Governo do Estado do Rio de Janeiro, com realização do Ministério da Cultura e do Governo Federal do Brasil por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura. 

Mais informações em www.museudeartedorio.org.br

 

Serviço: 

CÉSAR BAHIA: UMA POÉTICA DO RECOMEÇO

Local: Museu de Arte do Rio:

Praça Mauá, 5 – Centro, Rio de Janeiro – RJ

Abertura: sexta, 28 de abril, às 16h30

Encerramento: dia 30 de julho

Entrada para a estreia: gratuita

Funcionamento do MAR: de quinta-feira a domingo, das 11h às 18h (última entrada às 17h)