Sesc Copacabana: inspirado no livro do apresentador Manoel Soares, espetáculo “Para meu amigo branco” estreia nesta quinta

0
282

Como se constrói um racista? Onde aprendemos a ser racistas? O espetáculo teatral “Para meu amigo branco”, inspirado no livro homônimo do jornalista e apresentador Manoel Soares, vai trazer à cena reflexões sobre o racismo estrutural brasileiro, a partir desta quinta-feira (27/07), no Teatro Arena do Sesc Copacabana. Dirigida por Rodrigo França, a peça selecionada pelo Edital Sesc RJ Pulsar, terá sessões de quinta a domingo, às 20h, até 20 de agosto. 

Assinada por Rodrigo e Mery Delmond, a dramaturgia inédita aborda um episódio de racismo entre crianças de uma escola. A menina Zuri, de 8 anos, é chamada pelo coleguinha de “negra fedorenta da cor de cocô”. Ao solicitar explicação à escola, o pai da menina, Monsueto (Reinaldo Júnior, indicado ao Prêmio Shell de melhor ator em 2023), descobre que o racismo sofrido por sua filha estava sendo tratado como “coisa de criança”, bullying. 

Na trama, as contradições e a falta de posicionamento da escola dão o tom do conflito de um pai negro e um pai branco, que minimiza a dor e sofrimento dessa família preta. A trama traz à tona as primeiras construções sociais racistas, quando pais e filhos, ainda na infância, se dão conta de que a sociedade não destina o mesmo tratamento para pretos e brancos. No elenco estão ainda Alex Nader, Stella Rodrigues e Mery Delmond. 

“É um dos poucos espetáculos no país que coloca a branquitude nua. Normalmente, nós, pessoas pretas, somos colocadas como objeto, elemento de pesquisa, ou estamos falando para nós mesmos. Estamos falando para a branquitude de uma forma muito direta”, analisa o diretor Rodrigo França. 

No livro de Manoel Soares, lançado no ano passado, o autor afirma ter escolhido a arma do afeto não para queimar os racistas, mas “para queimar o racista dentro de você [amigo branco]”. A dramaturgia de Rodrigo e Mery adiciona novas camadas à obra. A direção artística localiza a discussão numa sala de aula branca. Na disposição da Arena do Sesc Copacabana, a intenção é criar essa atmosfera na qual o público é situado dentro da própria questão. 

Autora da peça ao lado de Rodrigo e atriz do espetáculo, Mery Delmond conta que os dois visitaram diversos colégios para produzir a dramaturgia. “A partir do olhar sobre a branquitude, a peça desnuda as problemáticas do racismo e localiza o ‘sujeito branco’ como um indivíduo racializado dentro da estrutura de uma sociedade ainda tão racista como a nossa”, acrescenta Delmond. 

A idealização e produção do espetáculo é do diretor, produtor teatral e jornalista João Bernardo Caldeira, para quem Manoel contou, numa entrevista, o caso de racismo que viveu com um de seus filhos na escola. O texto escrito por Rodrigo e Mery acrescenta novos olhares sobre o livro e propõe uma dramaturgia que rompe com os conflitos e subjetividades habitualmente destinados a personagens negras e brancas.

“A peça coloca personagens e subjetividades negras em posição de protagonismo, como também oferece ao público branco personagens brancos que possam inspirá-lo a se racializar e dar os seus próprios passos rumo à transformação”, conclui Caldeira.

 

SERVIÇO

Espetáculo teatral “Para meu amigo branco”

Temporada: 27 de julho a 20 de agosto de 2023

Dias e horários: de quinta a domingo, às 20h

Local: Sesc Copacabana (Rua Domingos Ferreira, 160)

Ingressos: R$ 30 (inteira), R$ 15 (meia-entrada) e R$ 7,50 (credenciado Sesc)

Classificação indicativa: 14 anos

Duração: 70 min

Bilheteria: terça a domingo, das 14h às 20h.