Expectativa dos empresários do comércio aumenta em maio

0
87

Após queda de março para abril, a confiança dos empresários do comércio voltou a subir em maio. O índice geral que estava em 111 pontos em abril subiu para 115, ultrapassando o patamar de março (114,3 pontos) de acordo com levantamento feito pelo Instituto Fecomércio de Pesquisas e Análises (IFec RJ), com 509 entrevistados na região metropolitana do Rio, entre os dias 02 e 06 de maio. 

Os indicadores de situação presente e situação futura também apresentaram alta em relação ao mês anterior. A situação presente que vinha de queda desde fevereiro apresentou elevação e ficou em 99 pontos. Os destaques foram os negócios (98,8 pontos) e a demanda (100,4). 

A situação futura subiu de 121,6 pontos, em abril, para 125,7 agora em maio. Assim como a situação presente, os destaques também foram os negócios, com 137,2 pontos, e a demanda, com 134,1. Na sondagem anterior, os negócios registraram 132,9 pontos e a demanda, 128,2.

 

Sobre a Fecomércio RJ

Reúne 59 sindicatos patronais, líderes empresariais, especialistas e consultores com o objetivo de fomentar o desenvolvimento dos negócios no setor do comércio de bens, serviços e turismo no estado do Rio de Janeiro. Desenvolve soluções, pesquisas e disponibiliza conteúdo sobre questões que impactam a vida do empreendedor e colaboram nas decisões dos gestores públicos. Representa mais de 286 mil estabelecimentos, que respondem por 2/3 da atividade econômica do estado e 70% dos estabelecimentos, gerando mais de 1,8 milhão de empregos formais, que equivalem a 61% dos postos de trabalho no estado. Através do Serviço Social do Comércio (Sesc RJ) atua em assistência social, cultura, educação, lazer e saúde aos comerciários e população carente, enquanto o Serviço Nacional de Aprendizagem Comércio (Senac RJ) promove educação profissional voltada para o setor. 

A Fecomércio RJ e o Instituto Fecomércio de Pesquisas e Análises (IFec RJ) são signatários do Pacto Global da ONU. Ao terem suas adesões oficializadas pelo organismo internacional, as duas Casas se comprometem com os dez princípios universais derivados da Declaração Universal dos Direitos Humanos, da Declaração da Organização Internacional do Trabalho sobre Princípios e Direitos Fundamentais do Trabalho, da Declaração do Rio sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento, e da Convenção das Nações Unidas Contra a Corrupção, se alinhando aos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, que integram a Agenda 2030.