Procon Carioca encontra irregularidades no Barra Shopping e em lojas online nas vendas do Dia das Crianças

0
157

No foco do aumento das vendas para o Dia das Crianças, o Procon Carioca, órgão vinculado à Secretaria Especial de Cidadania da Prefeitura do Rio, fez uma fiscalização no Barra Shopping, na Barra da Tijuca, no último dia 10. A equipe verificou 15 lojas e notificou três por apresentar irregularidades, como data de validade vencida em produtos expostos, publicidade enganosa, ausência de preços, dupla e tripla precificação.

Foram notificadas as empresas C&A, Renner e Imaginarium. Nas lojas Giga Land, Ávore Mágica, TipTop, Puket, Cores Novas, Brink Center, Babies, Star Brink e Laçarotei a equipe de fiscais deu orientações para que os estabelecimentos se ajustem à norma consumerista.

Já nas lojas Lego e na Centauro não foi constatada nenhuma infração ao Código de Defesa do Consumidor.

A C&A foi notificada por ausência de precificação em produtos expostos para comercialização, dupla e tripla precificação de produtos do mesmo modelo e exposição de produtos fora do prazo de validade ou sem a informação, como perfumes e maquiagens, eram utilizados pelos consumidores.

A RENNER recebeu notificação por ausência de precificação em produtos expostos para comercialização, dupla e tripla precificação de produtos do mesmo modelo e exposição de produtos fora do prazo de validade ou sem a informação, como perfumes e maquiagens, em que eram utilizados pelos consumidores.

A Imaginarium foi notificada pela ausência de precificação em produtos expostos para comercialização.

A fiscalização eletrônica nos sites do Mercado Livre e da Shopee encontrou casos de comercialização de brinquedos contrafeitos (piratas) e de brinquedos comercializados sem informação clara e adequada sobre as características, qualidade, composição e origem dos brinquedos, bem como dos riscos que eles apresentam às crianças.

O diretor-executivo do Procon Carioca, Igor Costa, alerta para os cuidados básicos na hora das compras. “É importante os pais e responsáveis avaliarem as condições e os anúncios referentes aos brinquedos comercializados nas plataformas de e-commerce, verificando as informações principais dos produtos, como a origem e suas características, além também de checar se há o registro do INMETRO, para que as crianças não sejam expostas a riscos em razão de produtos falsificados”, informa.