Orquestra Petrobras Sinfônica apresenta segundo concerto da  série Portinari no Theatro Municipal

0
562

No próximo dia 08/06, às 16 horas, a Orquestra Petrobras Sinfônica, 
sob regência do maestro britânico Neil Thomson, Diretor Artístico e 
Regente titular da Orquestra Filarmônica de Goiás desde 2014, 
apresenta no Theatro Municipal do Rio de Janeiro o segundo concerto da 
série Portinari. A apresentação conta com a participação de uma das 
maiores pianistas brasileiras da atualidade: Linda Bustani. Os 
ingressos custam a partir de R$20.

No programa, obras de Schumann (Abertura, Scherzo e Finale, Op.52), 
Tchaikovsky (Concerto para piano nº1, em si bemol menor, Op.23) e 
Brahms (Sinfonia nº 1, em dó menor, Op.68).

“Este programa é uma maravilhosa celebração do romantismo. Schumann é, 
para mim, o epítome do espírito romântico e sua Abertura, Scherzo e 
Finale é uma obra alegre e vigorosa que raramente é tocada“, comenta o 
regente Neil Thomson. “E que melhor maneira de terminar o concerto do 
que com a Sinfonia n° 1 de Brahms? Uma obra-prima da época 
romântica.”, completa.

Concerto para piano e orquestra nº 1, que será interpretada por Linda 
Bustani, foi escrita por Tchaikovsky em 1874, inspirado no virtuosismo 
do discípulo Sergei Taneyev e dedicada ao pianista Nikolai Rubinstein, 
fundador do Conservatório de Moscou (hoje Conservatório Tchaikovsky). 
Rubinstein, que dez anos antes havia convidado o compositor a assumir 
o cargo de professor
naquela instituição, demonstraria logo que a homenagem não fora a mais 
acertada. Suas críticas foram tão severas que Tchaikovsky decidiu não 
tocar uma nota, vindo a trocar a dedicatória, redirecionada ao grande 
regente Hans von Bülow, discípulo e genro de Franz Liszt. Von Bülow 
estreou a obra em Boston, nos Estados Unidos, em 1875, e mais tarde na 
Alemanha, conferindo ao concerto o status de obra-prima cosmopolita.

Para a pianista,  essa é uma das obras mas conhecidas e queridas do 
repertório romântico para piano e orquestra. “Sua magnitude e 
exuberância têm arrebatado milhões de pessoas ao longo dos últimos 145 
anos. Para mim é o mais completo, tanto em termos expressivos – a 
interação entre o piano e orquestra e a carga emocional gerada por 
eles no público é eletrizante – e
também pela escrita pianística que é desafiadora. Estudei esse 
concerto quando morava em Moscou, aluna do Conservatório Tchaikovsky, 
o que sempre foi muito significativo para mim em relação a ele, além 
de todas as boas lembranças que ele me traz”, completa.

Aos 47 anos, a Orquestra Petrobras Sinfônica se consolida como uma das 
mais conceituadas do país e ocupa um lugar de prestígio entre os 
maiores conjuntos musicais da América Latina. Criada pelo maestro 
Armando Prazeres, a orquestra conta com uma formação de mais de 80 
instrumentistas e tem como Diretor Artístico e Regente Titular o 
maestro Isaac Karabtchevsky, o mais respeitado regente brasileiro e um 
nome consagrado no panorama internacional.

Programação:

Neil Thomson, regente

Linda Bustani, piano

ROBERT SCHUMANN

Abertura, Scherzo e Finale, Op.52

PIOTR ILITCH TCHAIKOVSKY

Concerto para piano nº1, em si bemol menor, Op.23

JOHANNES BRAHMS

Sinfonia nº 1, em dó menor, Op.68

Serviço

Orquestra Petrobras Sinfônica apresenta segundo concerto da série Portinari

Data: 08/06 (sábado)

Horário: 16h

Local: Theatro Municipal do Rio de Janeiro – Praça Floriano, S/N – Centro

Telefones: (21) 2332-9191

Ingressos: R$ 96 (plateia e balcão nobre); R$ 50 (balcão simples); R$ 
20 (galeria); R$ 576 (camarote e frisa). Desconto de 50% para idosos e 
estudantes.

Ingressos na bilheteria e no site ingressorapido.com.br

Capacidade: 2.252 lugares

Classificação: livre