Orquestra Sinfônica Brasileira celebra Verdi no palco da Sala Cecília Meireles

0
457

No próximo fim de semana (28 e 29/07), a Orquestra Sinfônica Brasileira estará de volta ao palco da Sala Cecília Meireles com programa inteiramente dedicado a Giuseppe Verdi. No sábado, o concerto contará com a participação da aclamada soprano Eliane Coelho e no domingo, a OSB volta para mais um Concerto da Juventude – apresentação de caráter didático com ingressos a preço popular. Em ambos os concertos, a regência fica a cargo do maestro Luiz Fernando Malheiro.

A Orquestra Sinfônica Brasileira conta com a Lei Rouanet e tem a NTS como mantenedora, Vale, Brookfield e Eneva como patrocinadoras.

Árias de Aída, Luisa Miller, Um Baile de Máscara, A Força do Destino e Don Carlo compõem a primeira parte do concerto de sábado. Depois do intervalo, o público ouvirá árias de As Vésperas Sicilianas, Simone Boccanegra, Nabucco e Macbeth. Na manhã de domingo a OSB volta ao palco com mais Verdi. Além das Aberturas das óperas Luisa Miller, A Força do Destino, As Vésperas Sicilianas e Nabucco, o programa conta também com os Prelúdios para os Atos 1 e 3 de La Traviata.

Ao longo de sua extensa carreira, Verdi compôs 28 óperas, se tornando um ícone da música do século XIX e estabelecendo padrões para a ópera italiana de seu tempo. Para o maestro Luiz Fernando Malheiro, voltar a reger a OSB ao lado de Eliane em um programa dedicado a Verdi é motivo de grande felicidade. “A Orquestra Sinfônica Brasileira é uma instituição de grande importância na vida musical do país e, portanto, é um imenso prazer voltar a regê-la. Eliane Coelho é nossa diva internacional e excelente intérprete de Verdi, um gênio da ópera. Uma perfeita combinação.” – afirma.

Celebrada no Brasil e no exterior, Eliane Coelho é considerada a mais importante cantora lírica brasileira em atividade. A última vez que a soprano dividiu o palco com a OSB foi em 2015, também na Sala Cecília Meireles. Já com o maestro Luiz Fernando Malheiro a orquestra não se apresenta desde 2010.

Reconhecida como um dos conjuntos sinfônicos mais importantes da música nacional, a Orquestra Sinfônica Brasileira soma mais de cinco mil concertos ao longo de seus 78 anos de atuação, revelando diversos talentos e promovendo, através de seus projetos educacionais e concertos públicos, a democratização do acesso à cultura.

Fundada em 1940, a Orquestra Sinfônica Brasileira foi pioneira não só na forma de levar a música sinfônica e de concerto para todos os cantos do Brasil e outros países, como também no incentivo à formação de novos talentos e difusão da cultura em território nacional.

Com mais de 60 títulos regidos, Luiz Fernando Malheiro é considerado um dos principais nomes da ópera no Brasil. É Diretor Artístico e Regente Titular da Orquestra Amazonas Filarmônica e do Festival Amazonas de Ópera. Foi diretor artístico do Teatro São Pedro de São Paulo e diretor de Ópera no Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Regeu as principais orquestras brasileiras – OSB, OSESP, Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, Sinfônica de Minas Gerais, da Bahia, entre outras. Também já regeu no Festival de Ópera de La Coruña, Sinfônica de Miami, Sinfônica de Bari, Filarmônica Marchigiana, Ópera Nacional de Sófia, Sinfônica de Porto Rico, Teatro de Bellas Artes do México. Malheiro é o único brasileiro a ter  regido integralmente O Anel do Nibelungo de Wagner.

Nascida no Rio de Janeiro em 1951, Eliane Coelho vive na Europa desde o início da década de 1970, se tornando uma das poucas cantoras líricas brasileiras que chegaram ao posto de protagonista em teatros internacionais de ópera. Eliane iniciou seus estudos na Europa na Escola Superior de Música de Hannover, na Alemanha – país onde deu início à sua carreira. Em 1974, ingressou no Teatro de Detmold e, em 1976, no Teatro de Bremen, onde ficou por seis anos. Em 1984, tornou-se membro do elenco regular da Ópera de Frankfurt, atuando também como convidada em diversas casas, como Teatro Regiodi Torino (Itália), Theater Aachen (Holanda), a Volksoper Wien (Áustria) e Begrenz Festival (Áustria). Em 1991, estreou na Ópera Estatal de Viena no papel-título de Salomé (Strauss) e por lá assumiu papéis de protagonista até 2004. Na casa, estrelou produções ao lado de alguns dos maiores nomes da música como Zubin Mehta, Plácido Domingo, Colin Davis, Franco Zeffirelli, Leo Nucci, Roberto Alagna, entre outros. Entre a estreia com Salomé (1991) e a despedida com Jérusalem (2004), Eliane Coelho cantou, ao todo, 28 papéis na Ópera Estatal de Viena. Após enfrentar uma grave doença, retomou a carreira em 2005, estreando em palcos brasileiros com três óperas do alemão Richard Wagner: no Teatro Amazonas, em Manaus, interpretou a princesa de Tristão e Isolda (2001); em São Paulo, assumiu o papel de Brünnhilde em O Crepúsculo dos Deuses (2012); no Rio de Janeiro, viveu a heroína da saga wagneriana na montagem de A Valquíria (2013).

PROGRAMA:

28 de Julho (sábado), 20h

Luiz Fernando Malheiro, Regente

Eliane Coelho, Soprano

Programa:

Giuseppe Verdi

–         Aída (Ritorna Vincitor)

–         Luisa Miller (Abertura)

–         Um Baile de Máscara (Morrò ma prima in grazia)

–         A Força do Destino (Abertura)

–         Don Carlo (Tu Che Le vanità conoscesti del mondo)

Giuseppe Verdi

–         As Vésperas Sicilianas (Abertura)

–         Simone Boccanegra (Come in quest’ora bruna)

–         Nabucco (Abertura)

–         Macbeth (Neldi dela vittoria – Ambizioso spirto)

29 de Julho (domingo), 11h (Concerto da Juventude)

Luiz Fernando Malheiro, Regente

Programa:

–         La Traviata (Prelúdio para Ato 1)

–         La Traviata (Prelúdio para Ato 3)

–         Luisa Miller (Abertura)

–         A Força do Destino (Abertura)

–         As Vésperas Sicilianas (Abertura)

–         Nabucco (Abertura)

SERVIÇO:

Orquestra Sinfônica Brasileira na Sala Cecília Meireles

Luiz Fernando Malheiro, regente

Eliane Coelho, soprano (somente no sábado)

– Dia 28/7 (Sábado), às 20h

Ingressos: R$40 (R$20 meia)

–  Dia 29/7 (Domingo), às 11h (Concertos da Juventude)

Ingressos: R$10 (R$5 meia)

Local: Sala Cecília Meireles

Endereço: Rua da Lapa, 47 – Centro – Rio de Janeiro

Ingressos a venda na bilheteria da Sala e no www.ingressorapido.com.br