Theatro Municipal Palco Livre convida André Heller-Lopes e Alonso Escalante Mendiola em Desafios: a ópera e as artes no pós-pandemia

0
777

O Theatro Municipal Palco Livre apresenta na terça-feira, 04 de agosto, mais uma live internacional. Desta vez o diretor artístico, André Heller-Lopes recebe Alonso Escalante Mendiola, diretor artístico de ópera de Bellas Artes, no México. No bate-papo, os prognósticos dos concertos operísticos para 2020 e 2021 no Brasil e no mundo; as possibilidades futuras e os desafios a serem superados. A live começa às 15h no Instagram do Theatro Municipal (@theatromunicipalrj).


Sobre André Heller-Lopes

O diretor artístico do Theatro Municipal, André Heller-Lopes, é um grande divulgador da ópera e de novos talentos no Brasil. Professor da UFRJ, PhD pelo Kings College London, André se especializou na Royal Opera House de Londres, na Ópera de São Francisco e no Metropolitan Opera de Nova York. Dirigiu óperas e concertos por todo o Brasil, 8 no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, Portugal, Estados Unidos, Áustria, Inglaterra, Polônia, Malásia, Alemanha, França, Argentina e Uruguai. Em 2013, a revista internacional “Opera”, do Reino Unido, dedicou um perfil de nove páginas ao seu trabalho. Dentre as produções que levaram sua assinatura encontram-se Salomé, Nabucco, A Valquiria, O Diário do Desaparecido, Savitri, Don Pasquale, Idomeneo (Theatro Municipal do Rio e CCBB-RJ), Die Walküre, Götterdämmerung, La Fille du Régiment, Falstaff, Samson et Dalila, Der Rosenkavalier, Adriana Lecouvreur e Andrea Chenier (Theatro Municipal de São Paulo, Teatro São Pedro e OSESP), Hansel e Gretel, Trouble in Tathiti, A Bela Adormecida e Nabucco (Lisboa); Tosca e Eugene Oneguin (Salzburgo); Manon Lescaut, Rigoletto, Jenufa e Don Pasquale (Buenos Aires;) Tristão e Isolda e Medea, em Manaus; Macbeth e Ariadne auf Naxos, em Montevidéu; Rigoletto e Lucia di Lammermoor (Belo Horizonte). No Rio de Janeiro, no Parque Lage, encenou ao ar livre e com entrada franca A Midsummer’s Night Dream – espetáculo patrocinado pelo prêmio internacional Britten 100 Award e pelo British Council – que acabou indicado para o Opera Awards de 2014, o “Oscar da ópera”.


Sobre Alonso Escalante Mendiola

Nascido na Cidade do México, Alonso Escalante Mendiola iniciou seus estudos musicais aos nove anos de idade no Coral Infantil da Basílica de Guadalupe, que mais tarde continuou no Centro de Pesquisa e Estudos da Música (CIEM). Posteriormente, obteve o grau de Mestre em Gestão Cultural na Universidade da Catalunha e na Universidade de Girona. Foi membro do The National Endowment for the Arts e do Kennedy Center for the Arts (EUA), para Administração de Artes e Administração de Teatro, respectivamente. Ele também é graduado em Finanças e Desenvolvimento Organizacional.

Como promotor cultural, atuou como Diretor Adjunto de Apoio ao Desenvolvimento Artístico do Fundo Nacional de Cultura e Artes, Diretor Adjunto de Programação Artística da Direção Geral de Música da Universidade Autônoma Nacional do México (UNAM). Ele foi CEO e fundador do Teatro del Bicentenario, em León.

No Instituto Nacional de Bellas Artes, ele foi chefe da Coordenação Nacional de Música e Ópera e diretor de Ópera de Bellas Artes, cargo que ocupa atualmente pela segunda vez.

Foi membro do júri das competições de canto Neue Stimen, uma competição patrocinada pela Fundação Bertelsmann (Alemanha), Competizione dell’Opera, promovida pela Dresden Opera (Alemanha), pelo Festival Internacional de Magic La/guna Opera (Chile), além de as competições de Ópera de Sinaloa, Carlo Morelli e Opera Prima (México).

 

Serviço:

Theatro Municipal Palco Livre, Vale e Petrobras convidam André Heller-Lopes e Alonso Escalante Mendiola em Desafios: a ópera e as artes no pós-pandemia

Data: 04 de agosto – terça-feira

Live às 15h

Instagram: @theatromunicipalrj

Patrocínio Ouro: @valenobrasil e @petrobras