Espetáculo Marambaia estreia com reflexões sobre resistência e ancestralidade

0
131

Um drama épico, que mistura realidade e ficção e levanta questões importantes de resistência, ancestralidade e sustentabilidade. O espetáculo Marambaia chega aos palcos nos próximos dias 03 e 04 de dezembro com a história de uma população remanescente de quilombolas ameaçada de permanecer no seu território com a chegada da Opará Mineradora. 

A chegada de uma equipe de pesquisadores mudará os rumos dessa história, por meio das narrativas dos moradores dessa ilha, que recriam e remontam discursos que constituem a historiografia do lugar, narrando os contos de seus personagens e levando o espectador a refletir sobre a trajetória de resistência dessa comunidade.

Com a Direção Geral do ator-pesquisador e professor de teatro Hudson Batista, a pesquisa sobre a história da Ilha da Marambaia – também conhecida como Restinga da Marambaia, localizada na Zona Oeste do Rio – começou em 2013, quando trabalhou como pesquisador bolsista na Vale do Rio Doce. Junto com uma equipe da UFRJ, o grupo frequentou o local por um ano. Desse trabalho, o livro Marambaia foi lançado e, a partir daí, a peça que leva o mesmo nome.

Com 22 anos de vasta experiência na área de Artes Cênicas, Hudson desenvolve pesquisas sobre o Teatro Negro desde 2011, e atua principalmente em espetáculos educativos e/ou que atentam à importância do resgate da História. Neste cenário, atuou em produções de relevância, como em “Contos Negreiros do Brasil”, com textos de Marcelino Freire e direção de Fernando Philbert.  

Além disso, Hudson possui uma consolidada trajetória acadêmica, sendo graduado em Licenciatura Plena em Pedagogia pela UFRJ, com Pós-Graduação em Direção Teatral pela Faculdade CAL de Artes Cênicas. Atualmente cursa sua segunda graduação em Artes Cênicas na PUC-Rio e Mestrado em Artes Cênicas pela UNIRIO. Foi diretor artístico, pedagógico e executivo do Grupo MovaNos – Movimento Nosso durante 5 anos. E tem experiência com produção executiva e gestão de projetos que foram contemplados pela Lei Aldir Blanc em 2020, como o Retomada Cultural e Arte-Escola. 

Como um acadêmico a serviço da arte, hoje Hudson é diretor geral da Gudi Hud – Escola de Teatro, centro de formação em teatro para crianças, jovens e adultos, que fica localizada no bairro de Padre Miguel, zona oeste do Rio de Janeiro. E leva o conhecimento das pesquisas que desenvolve para as aulas de teatro, por meio da espiritualidade, corporeidade, musicalidade, memória, cooperatividade, ancestralidade, oralidade, circularidade, energia vital e ludicidade:  “Somos o segundo país com a maior população negra do mundo e, por conta disso, a nossa ferramenta para combater o racismo é utilizar os dez valores civilizatórios afro-brasileiros”, ressalta. 

Marambaia é o primeiro espetáculo de montagem da Gudi Hud – Escola de Teatro, que está formando a primeira turma e conta com todos os trinta alunos inseridos no elenco. A peça não conta com patrocínio e o processo foi colaborativo, construído junto com os alunos. A narrativa mistura elementos épicos, da realidade vivida pelo pesquisador com as narrativas dos moradores da Ilha, e a ficção da empresa mineradora, porém, tão real em tantas comunidades pelo país. 

O espetáculo fica em cartaz no dia 02 de dezembro, às 19h, no Teatro Municipal Gonzaguinha, Centro do Rio. E nos dias 03 e 04 de dezembro, também às 19h, no Teatro Ruth de Souza, Parque das Ruínas, bairro de Santa Teresa. Para mais informações, é só entrar em contato pelo telefone: (21) 99021-8091. 

 

 

Serviço: 

Espetáculo: Marambaia 

Data: 02 de dezembro

Horário: 19h

Local: Teatro Municipal Gonzaguinha

Endereço: Rua Benedito Hipólito, 125, Centro – RJ

 

Data: 03 e 04 de dezembro

Horário: 19h

Local: Teatro Ruth de Souza

Endereço: Parque das Ruínas – Rua Murtinho Nobre, 169, Santa Teresa – RJ

Informações: @gudihudoficial / Tel: 21.99021.8091