Por detrás de O balcão’, de Renato Carrera, estreia temporada nesta sexta-feira (07/05) pelo projeto Arte em Cena

0
61

O espetáculo “Por detrás de O balcão” estreia nesta sexta-feira (7/5), às 20h, temporada virtual com transmissão pela plataforma Zoom, via Sympla Streaming. As sessões, que acontecem de sexta a domingo até 30 de maio, integram o Arte em Cena – Temporadas, braço de temporadas teatrais do projeto em que Sesc RJ transmite espetáculos artísticos em suas redes sociais e em plataformas digitais.

Com roteiro e direção assinados pelo premiado diretor e dramaturgo Renato Carrera, o espetáculo, apresentado ao vivo, foi concebido sob inspiração livre de “O Balcão” (1956). A peça é uma das obras-primas do controverso escritor e dramaturgo francês Jean Genet – vencedor do Grande Prêmio Nacional (1983), o mais importante reconhecimento literário francês – e teve montagem icônica no Brasil em 1969.

Na peça, o espectador se torna um voyeur, adentrando virtualmente os camarins dos atores, ambientados em suas próprias casas, e acompanha os bastidores dos processos de ensaio e montagem da peça “O Balcão”. O elenco conta com atores de tradição na cena teatral carioca, sendo eles Alexandre Barros, Carmen Frenzel, Cris Larin, Hugo Germano, José Karini, Lucas Oradovschi e Yumo Apurinã.

Os processos criados por cada um dos atores nascem da pesquisa e da construção de personagens a partir de experiências pessoais e artísticas vivenciadas por eles, e, paralelamente, através dos seus envolvimentos com os personagens, retirados do texto de Genet, sugerindo assim possíveis desdobramentos relacionados com os arquétipos propostos no texto, em consonância com os acontecimentos sociais nos dias de hoje.

A encenação dialoga com a obra marginal de Genet e denuncia a hipocrisia, as máscaras sociais e a fragilidade do sistema de valores da sociedade burguesa, além de conflitos típicos inerentes aos atores contemporâneos reféns de uma nova era digital. Também estão presentes na montagem e no texto a mistura de papéis, que problematiza a separação entre real e imaginário, o que reforça a relevância de criar um diálogo com os tempos atuais, onde o que é fake e o que é real se confundem nos perfis das redes sociais e na vida pessoal.

Propondo um jogo metateatral, as cenas do espetáculo virtual, representadas ao vivo, são costuradas por meio de uma linguagem híbrida que mescla teatro e audiovisual e toma como ponto de partida a intimidade e a relação dos atores com o espectador. Se a emblemática montagem de 1969 era ancorada numa encenação provocativa que tinha o cenário e a desconstrução do edifício teatral como foco principal, agora é o ator, o texto e seus paralelos que norteiam o trabalho.

Renato Carrera sobre o espetáculo
“A peça se passa momentos antes dos atores entrarem em cena. Nervosismo, tensão, correria, falsidade, alegria, ansiedade, melancolia, solidão, inveja, humor e muita ironia invadem as casas dos atores enquanto eles se preparam e aguardam o toque do terceiro sinal. Diretamente de suas residências, o público irá dividir o local e o instante mais íntimo de cada ator. Um momento quase nunca revelado e que agora se torna o foco. Misturando ficção e realidade, a dramaturgia toma como inspiração os personagens da obra de Genet, a vida pessoal de cada ator e tipos e figuras características do ambiente teatral. Não se sabe o que é a realidade e o que é ficção. Lá fora, uma revolução está prestes a explodir. Mas e o show? Precisa continuar? E a arte? Onde ela se encaixa nessa nova era? Como acessar a experiência teatral virtualmente? Qual o limite da intimidade e da exposição, entre o camarim e a minha casa? Estas foram perguntas que nortearam os ensaios. A proposta é dividir com o público nossos anseios e nossas dúvidas em relação à arte teatral, na busca de um novo formato, entendendo o virtual e propondo o encontro ao vivo, como forma de resgatar o instante teatral e o encontro com o público, trabalhando o momento em que o ator está mais vulnerável: o instante antes do terceiro sinal”, acrescenta Renato
Carrera.

SERVIÇO
“Por detrás de O balcão”
Projeto Arte em Cena do Sesc RJ
Temporada: de 07/05 a 30/05 – 20h
Sexta a domingo, às 20h, na plataforma Zoom
Ingressos: Gratuitos no site Sympla (www.sympla.com.br/pordetrasdeobalcao)
Duração: 80 minutos
Gênero: Drama
Classificação etária: 16 anos
*O link de transmissão e instruções para acesso do espetáculo serão enviados para o email cadastrado, junto ao ingresso adquirido.
Bate-papo com Renato Carrera e elenco: dia 16 de maio após o espetáculo.

Sinopse:
Por detrás de O Balcão é um espetáculo virtual, apresentado ao vivo, livremente inspirado nos personagens da obra de Jean Genet. As casas dos atores se transformam em seus camarins, onde eles compartilham com o público os bastidores do processo de ensaio e montagem da peça “O Balcão”. Prestes a entrar em cena, os atores revelam personas desconexas, às vezes possuídas por seus personagens, que representam (falsas) figuras icônicas do mundo atual, entre eles um juiz, um ator em conflito com sua profissão, uma jovem ativista revolucionária, um general, a dona de um bordel, uma funcionária-prostituta e um chefe de polícia. Com direção de arte de Daniel de Jesus e trilha sonora original composta especialmente para o espetáculo, por Gustavo Benjão, a trama se desenrola sob uma atmosfera densa e sufocante, com os atores acuados por uma possível revolução que está prestes a estourar nas ruas da cidade.

Sobre Renato Carrera:
Renato é dramaturgo, ator e diretor de reconhecida carreira artística. Vencedor de vários prêmios de teatro, dentre os quais o PRÊMIO QUESTÃO DE CRÍTICA 2013 como MELHOR ESPETÁCULO por VESTIDO DE NOIVA de Nelson Rodrigues, (direção e idealização). Em 2016 ganha o mesmo prêmio como MELHOR ATOR por O HOMOSSEXUAL OU A DIFICULDADE DE SE EXPRESSAR de Copi, com o Teatro de Extremos, ano em que também foi INDICADO AO PRÊMIO SHELL DE MELHOR DIRETOR por ABAJUR LILÁS de Plínio Marcos. Neste ano constava em todas as listas de indicações a prêmios como ator e diretor (INDICADO aos PRÊMIOS CESGRANRIO e APTR como MELHOR ATOR por O HOMOSSEXUAL OU A DIFICULDADE DE SE EXPRESSAR). Em 2010 dirigiu SAVANA GLACIAL de Jô Bilac com a Cia. Físico de Teatro. O espetáculo foi vencedor do PRÊMIO SHELL de MELHOR TEXTO daquele ano. Em 2018 dirigiu o sucesso “MALALA, a menina que queria ir para a escola” indicado ao Guia Folha de SP Melhor espetáculo infantil do ano, com temporadas por todo Brasil, vencedor de MELHOR PRODUÇÃO PRÊMIO CBTIJ RJ, atraindo um público de mais de 40.000 pessoas, presencialmente, em apenas 50 apresentações. Assinou a direção de “GISBERTA” com Luis Lobianco e escreveu o texto “Vim assim que soube”, onde também atuou, sob a direção de Marco André Nunes. O trabalho obteve a indicação ao PRÊMIO SHELL de MELHOR TRILHA SONORA para Felipe Storino. No início de 2020 escreve, dirige e atua em IELDA – COMÉDIA TRÁGICA, no TEATRO SESI E PETRA GOLD – RJ, se tornando sucesso de público e crítica. O trabalho rendeu um artigo na Revista VEJA RIO. Dentre seus principais trabalhos como diretor, podemos citar “DOIS AMORES E UM BICHO” de Gustavo Ott, com o grupo Clowns de Shakespeare. Como ator fez parte da Cia. Teatral do Movimento, durante 10 anos (2003 – 2013), sob a direção de Ana Kfouri. Renato já participou de mais de 50 espetáculos nos seus 33 anos de carreira. Em 2020, durante a pandemia, filmou “Jardim do Crime”, média-metragem dirigido por Daniel de Jesus, baseado no conto “Crimes de Amor” de João do Rio. Visto por mais de 5.000 pessoas, o média-metragem foi selecionado para abrir a programação de novembro/2020 do MAM (Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro). O filme ainda está disponível no Youtube. No mesmo ano (2020), de maio a setembro, o compacto da filmagem do espetáculo “Malala, a menina que queria ir para a escola”, ficou disponível gratuitamente no Canal do Banco Itaú no Youtube e foi assistida por mais de 175.000 pessoas.

FICHA TÉCNICA
Idealização: Alexandre Barros, Carmen Frenzel e Renato Carrera
Roteiro e Direção: Renato Carrera
Dramaturgia: Elenco
Elenco: Alexandre Barros, Carmen Frenzel, Cris Larin, Hugo Germano, José Karini,
Lucas Oradovschi e Yumo Apurinã
Direção de Fotografia e Direção de Arte: Daniel de Jesus
Colaboração artística: Angela Leite Lopes
Direção Musical: Gustavo Benjão
Programação Visual e Vídeos de Divulgação: Daniel de Jesus
Operador de Zoom: Rhuan Santos
Direção de Produção: Juliana Mattar e Renata Campos
Realização: Falantes Produções Artísticas e Sesc RJ