“Quanto Custa proibir?”: Centro de Estudos de Segurança e Cidadania promove debate sobre os impactos da guerra às drogas

0
399

O Centro de Estudos de Segurança e Cidadania (CESeC) realiza, no dia 23 de setembro, o evento “Quanto Custa Proibir? – Impactos da guerra às drogas”. Com uma roda de conversa com a deputada estadual Renata Souza (PSOL), o neurocientista Sidarta Ribeiro, a socióloga e coordenadora do CESeC Julita Lemgruber e mediação do ativista Raull Santiago, o encontro acontece no Museu de Arte do Rio, a partir das 14h. A entrada é gratuita, sujeita a lotação. 

Além da roda de conversa, o evento contará com a apresentação dos dados produzidos pelo projeto “Drogas: quanto custa proibir”. Ao longo de quatro anos, o projeto realizou pesquisas que mensuraram os impactos econômicos e sociais da escolha política do Estado pelo confronto armado para lidar com o varejo de drogas. 

A programação traz, ainda, a Feira Crespa, apresentações do Slam Laje e MC Martina e shows dos DJs Joss Dee e Rennan da Penha. 

Para a socióloga e coordenadora do CESeC, Julita Lemgruber, a consequência da guerra às drogas na vida de uma pessoa é incalculável. “Nosso propósito com este projeto é mostrar que, além de toda a dor e sofrimento gerados pela atual política de drogas, há um custo bilionário para o Estado. Há, ainda, o efeito individual na vida do cidadão, que afeta a capacidade de geração de renda futura e sua mobilidade social em consequência dessa opção política racista e classista do Estado”, afirma. “Esse prejuízo afeta o indivíduo e a sociedade como um todo. E todos perdemos nessa guerra que se trava contra aqueles e aquelas que são mais vulneráveis e marginalizados”, finaliza. 


Drogas: Quanto Custa Proibir

Em 2021, foi lançada a primeira etapa com o estudo “Um Tiro no Pé”, que revelou  como, em apenas um ano,  os estados do Rio de Janeiro e São Paulo gastaram R$5,2 bilhões para implementar a Lei de Drogas (11.343/06). Já em 2022, o projeto lançou a pesquisa “Tiros No Futuro”, um relatório que demonstrou como a violência provocada pelo Estado afeta o desempenho escolar dos alunos da rede pública do Rio de Janeiro. 

Em 2023, com “Saúde na Linha de Tiro”, o projeto expôs como moradores de favelas mais expostas a tiroteios têm mais chances de adoecer e desenvolver transtornos mentais. E em setembro deste ano, o “Drogas: quanto custa proibir” lança sua quarta etapa deste ciclo de pesquisas, falando sobre os impactos econômicos da guerra às drogas na vida dos moradores de favelas cariocas. 

O evento “Quanto Custa Proibir?” É uma realização do Centro de Estudos de Segurança e Cidadania (CESeC) e do Drogas: quanto custa proibir, em parceria com o Museu de Arte do Rio (MAR) e a Organização de Estados Íbero-americanos (OEI). 


Sobre o CESeC

Fundado em 2000, o Centro de Estudos de Segurança e Cidadania (CESeC) desenvolve pesquisas e outros projetos nas áreas de segurança pública, justiça e política de drogas, tendo como compromisso a promoção dos direitos humanos e a luta contra o racismo no sistema de justiça criminal brasileiro.


Serviço:

“Quanto Custa Proibir? – Impactos da guerra às drogas”

23 de setembro 

Das 14 às 21 horas

Museu de arte do Rio (MAR) – Praça Mauá, 5 – Centro, Rio de Janeiro

Entrada gratuita, sujeita a lotação. 


Programação

AUDITÓRIO

14h – Abertura com apresentação do projeto “Drogas: Quanto Custa Proibir” 

15h – Apresentação Slam Laje

15h10 – Roda de conversa “Custo da Guerra às Drogas”, com Renata Souza, Julita Lemgruber, Sidarta Ribeiro e Raull Santiago 


PILOTIS

14h – 21h – Feira Crespa

17h45 – Intervenção de Slam com MC Martina 

18h – DJ Joss Dee

18h30 – DJ Rennan da Penha

21h – Encerramento