Cineasta James Benning ministra masterclass gratuita no Sesc Copacabana

0
625

Considerado o maior nome do cinema experimental contemporâneo e uma das maiores referências para o chamado cinema estrutural, o cineasta James Benning conduz neste sábado (09/07) uma masterclass gratuita no Sesc Copacabana. Durante o encontro, ele abordará os aspectos dessas vertentes do cinema. A atividade acontece das 13h às 15h, e será ministrada em Inglês com tradução simultânea para o Português. Os interessados devem realizar suas inscrições em https://bit.ly/masterclassbenning

Prestes a completar 80 anos de idade, o norte-americano é uma das atrações internacionais do Festival ECRÃ, evento dedicado ao cinema experimental que começou dia 1º e segue até domingo (10) no Rio. Ele está lançando seu mais novo filme: ‘Os Estados Unidos da América”, um estudo minucioso de observação através de paisagens da Califórnia. Com extensa filmografia, contabilizando cerca de 62 filmes produzidos desde 1971, Benning exibiu suas produções nos maiores festivais de cinema e museus do mundo, a exemplo dos Festivais de Berlim, Rotterdam, Toronto, NY, Locarno, Viennale e Mar Del Plata, e de museus como MoMA, Anthology Film Archives, BFI, Vienna, entre outros.

 

SERVIÇO

Masterclass com James Benning – O cinema experimental e o cinema estrutural

Dia 9 de julho de 2022 – Das 13h às 15h

Sesc Copacabana – R. Domingos Ferreira, 160 – Copacabana – Rio de Janeiro

Inscrições: https://bit.ly/masterclassbenning

Grátis

 

SAIBA MAIS SOBRE JAMES BENNING

James foi premiado em 2006 pela National Society of Film Critics como melhor filme experimental e dado de uma só vez para três de seus filmes: 13 Lakes, Ten Skies e One Way Boogie Oogie. Em 2008, a associação de críticos de cinema de Los Angeles o premiou com o prêmio de melhor filme experimental para dois de seus filmes: RR e Casting a Glance. Em 2018, Benning ganhou a competição do festival Cinéma du Réel na França pelo média-metragem L. Cohen. Já no início de carreira, James tornou-se um dos grandes nomes do cinema independente americano com os filmes 11×14 e o curta-metragem homônimo The United States of America, feito em parceria com Beth Gordon. A partir disso, James Benning virou referência no diálogo com o dispositivo e o formato de filmagem – do filme analógico para o digital, na relação com o espaço filmado e, principalmente, por sua maneira solitária de filmagem que consiste em James, uma câmera e seu carro a viajar pela América. James também é professor da CalArts – California Institute of the Arts no curso de Filmes e vídeo.