Sucesso teatral “As Crianças” chega dia 31 de maio no Espaço EcoVilla Ri Happy

0
117

O grande sucesso teatral “As Crianças”, da premiada dramaturga inglesa Lucy Kirkwood e direção de Rodrigo Portella (“Ficções”, “Tom na Fazenda”), chega dia 31 de maio no Espaço EcoVilla Ri Happy. A peça traz no elenco Analu Prestes (vencedora dos Prêmios Shell, APTR, Cesgranrio e Botequim Cultural por este trabalho), Mario Borges e Stela Freitas. 

“As Crianças”, que estreou com grande sucesso em 2016 em Londres, levanta duas camadas de reflexão: num nível individual, fala da relação do ser humano com a passagem do tempo e seu inventário de perdas e ganhos; e num nível coletivo, trata de discussões éticas sobre a responsabilidade com o uso dos recursos do planeta e com as gerações futuras. Reparação e redenção são temas dessa peça que volta seu olhar para os catastróficos resultados da interação entre os humanos e a natureza.

 

SINOPSE

O casal de físicos aposentados Dayse (Analu Prestes) e Robin (Mario Borges), vive só e sem vizinhos numa casa improvisada perto da costa, numa região inóspita assolada por um acidente nuclear. Após uma ausência de quase quarenta anos, Rose (Stela Freitas), antiga colega de profissão e amiga, chega a essa casa com uma missão que poderá mudar para sempre a vida do casal. Para complicar as coisas, Robin teve uma relação com Rose no passado.

 

O QUE DIZ A CRÍTICA 

“Às vezes o teatro nos explode, numa féerie de incertezas, como se fosse uma bomba atônita. Em estilhaços, tocamos o absoluto. É raro, mas acontece. Um exemplo? Corra para ver As Crianças, de Lucy Kirkwood.” 

Tânia Brandão, critica e jurada Prêmios APTR e Cesgranrio

“O jogo entre os três atores, orquestrado com simplicidade e precisão pelo diretor Rodrigo Portella, é o ponto alto do espetáculo.” 

Patrick Pessoa, jurado Prêmio Shell

 

“Como poucos, Rodrigo (Portella) sabe decodificar, com todas as letras, as intenções do autor de um texto dramático e as traduz, com maestria e criatividade, num palco.” 

Gilberto Bartholo, critico

“Nessa montagem em que tudo funciona bem, o espectador tende a acompanhar com prazer um texto de construção identificável, interpretado por atores afinados e introduzidos numa concepção cênica concretizada com fluência.” 

Daniel Schenker, crítico e jurado Prêmios APTR e Cesgranrio

“As crianças é uma prova de que o teatro se renova. Que a junção entre o antigo e o novo só o reforça, só aumenta a sua força.” 

Claudia Chaves, crítica JB

A DRAMATURGIA

Estruturalmente, a peça se sustenta pelo desvendamento progressivo dos sentimentos desses personagens que, aos poucos, vão mostrando não só seus problemas afetivos, mas também a profunda crise ética em relação a seu papel na sociedade em que vivem. 

Paralelamente à questão nuclear, o texto investe nas particularidades da vida desses três indivíduos – sua relação com os filhos (ou a opção por não tê-los), a proximidade da morte, a traição, as omissões, a fantasia e o desejo. Trata-se de um grande desastre a espelhar os pequenos desastres de três vidas. 

“A discussão da peça está pra além da questão nuclear. Ela nos provoca a pensar em como usamos os recursos disponíveis. Entendo que Kirkwood quer que pensemos em nossa responsabilidade com as futuras gerações. Pra mim a grande pergunta da peça é: salvar as crianças de um futuro catastrófico é um ato de heroísmo ou uma obrigação?”, questiona Rodrigo Portella, diretor.

 

FICHA TÉCNICA

Texto: Lucy Kirkwood

Tradução: Diego Teza

Direção: Rodrigo Portella

Elenco / Personagem:

Analu Prestes / Dayse

Mario Borges / Robin

Stela Freitas / Rose

 

Cenário: Julia Deccache

Iluminação: Paulo Cesar Medeiros

Figurino: Rita Murtinho

Trilha Sonora Original: Federico Puppi

Preparação Corporal: Marcelo Aquino

Fotos: Victor Hugo Cecatto

Programação Visual: Fernanda Pinto

Marketing: Victor Novaes

Operador de luz: Walace Furtado

Operador de som: Diogo Perdigão

 

Contrarregra: Osni Silva

Produção Executiva: Bárbara Montes Claros

Direção de Produção: Celso Lemos

 

Serviço: 

AS CRIANÇAS no Espaço EcoVilla Ri Happy

ESTREIA: 31 de maio (6ªf), às 20h

HORÁRIOS: Sexta e sábado às 20h e domingo 19h

INGRESSOS: R$35 (meia)

DURAÇÃO: 80 min

CLASSIFICAÇÃO: 14 anos

GÊNERO: tragédia cômico-delirante

TEMPORADA: de 31 de Maio a 23 de Junho